A crise econômica e financeira que atinge o país parece não ter alcançado a gestão do prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Júnior (PDT). Pelo menos no que se refere aos gastos com publicidade e propaganda.


De setembro de 2013 até julho deste ano, o pedetista já gastou o total de R$ 54.674.153,48 (cinquenta e quatro milhões, seiscentos e setenta e quatro mil, cento e cinquenta e três reais e quarenta e oito centavos) para sua administração aparecer bem em sites, impressos, redes sociais, grupos de WhatsApp e Telegram, emissoras de rádio e televisão, outdoors e em outros tipos de mídia.


O dinheiro foi parar nas contas das agências Enter Propaganda e Marketing Ltda e Leiaute Comunicação e Propaganda Ltda, que fazem o repasse para os responsáveis pela veiculação da publicidade e propaganda do prefeito.


A primeira fica localizada no bairro Monte Castelo, na capital, e pertence ao empresário Evilson Almeida, que fez a campanha de Edivaldo Júnior em 2012. A segunda tem sede em Salvador, na Bahia, e tem como manda-chuva no Maranhão o esposo de uma ex-assessora do governador Flávio Dino (PCdoB), patrono político de Edivaldo.


Na divisão do bolo, a Enter tem levado a melhor bocada, embolsando até agora o total de R$ 30.842.800,74 (trinta milhões, oitocentos e quarenta e dois mil, oitocentos reais e setenta e quatro centavos) contra a fatia não muito pequena da Leiaute, de R$ 23.831.352,74 (vinte e três milhões, oitocentos e trinta e um mil, trezentos e cinquenta e dois reais e setenta e quatro centavos).


Para efeito de comparação, se a prioridade da gestão pedetista fosse outra, com o valor gasto até agora por Edivaldo com publicidade e propaganda, seria possível pagar o salário de quase 2 mil professores, com formação de nível médio e jornada de 40 horas semanais, considerando a remuneração base de R$ 2.544,28 (dois mil, quinhentos e quarenta e quatro reais e vinte e oito centavos), pelo período de um ano; ou ainda mais de mil professores, com formação de nível superior e jornada de 40 horas semanais, considerando a remuneração base de R$ 4.204,25 (quatro mil, duzentos e quatro reais e vinte e cinco centavos), pelo mesmo período.

Pesquisa de intenção de votos para a Prefeitura de São Luís feita pelo Instituto Data M, para as eleições de outubro próximo, pode ter sido fraudada para favorecer o atual prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT), que disputa a reeleição. O levantamento será divulgado pelo Jornal Pequeno, na edição deste domingo 31. Contudo, aliados do pedetista já vinham comemorando os números desde o início da semana passada, antes mesmo da pesquisa sequer ter sido iniciada.


A possibilidade de fraude foi constatada pelo ATUAL7 após minuciosa análise no registro e questionário da pesquisa. De acordo com o sistema da Justiça Eleitoral, o levantamento foi registrado no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Maranhão sob o número MA-07213/2016, entrevistou 1.200 eleitores entre os dias 20 e 25 julho. A margem de erro é de 2,5 pontos percentuais para mais ou para menos, e o intervalo de confiança estimado é de 95%.


No que se refere ao registro, a falha foi encontrada na medição quanto ao sexo dos entrevistados. O estatístico do Instituto Data M – que nas eleições de 2014 teve um profissional flagrado preenchendo um formulário de pesquisa de intenção de votos sozinho – estranhamente descreve a existência de uma população de 46% de homens e 53,5% de mulheres, totalizando 95,5%. Além da conta errada, o estatístico não explica o critério utilizado para excluir 0,5% do eleitorado da capital


Já no que se refere ao questionário, por sua vez, foram encontradas diversas falhas graves. Entre as principais, destacam-se: o questionário apresenta o pedetista como “Edivaldo Júnior” em uma pergunta e "Edivaldo Holanda” em outra; há pelo menos duas perguntas, sobre a avaliação da administração municipal, em que o eleitor já se depara com o nome “prefeito Edivaldo”; o grau de instrução previsto no plano amostral do registro não condiz com o apresentado no questionário; e, provavelmente a mais grave de todas: Edivaldo Holanda Júnior é o único pré-candidato que está sempre presente no segundo turno, o que induz o eleitor a pensar que o pedetista já estaria garantido na disputa final.


Ainda entre as falhas encontradas pelo ATUAL7, está a não inclusão do uso de discos, para a escolha de forma isenta pelos entrevistados, nas perguntas de intenção de voto. A gravidade ocorre por a falta dos discos permitir que o pesquisador possa, por exemplo, influenciar as respostas dos eleitores entrevistados.


Uma outra falha gravíssima que chama a atenção é o fato de ter sido declarado no registro o pagamento de apenas R$ 10 mil pelo levantamento. A gravidade ocorre pelo fato de que, de acordo com notas fiscais, os contratantes Rádio e TV Difusora e Sindicato das Indústrias da Construção Civil (Sinduscon) do Maranhão, desembolsaram esse mesmo valor, cada. Ou seja: O valor do registro da pesquisa deveria ser de R$ 20 mil, e não apenas a metade disso.


O ATUAL7 procurou o proprietário do Instituto Data M, o jornalista José Machado, o Machadinho, por meio de um aplicativo instantâneo de mensagens para celular, mas ele não retornou o contato até a publicação desta matéria.

O governador Flávio Dino (PCdoB) terá de finalmente exonerar a adjunta do Cerimonial do Palácio dos Leões, Célia Vitória Neri Silva. Conforme revelado pelo ATUAL7 desde os primeiros dias do ano passado, ela está mantida no cargo mesmo após o comunista ter tomado conhecimento das graves acusações que pesavam contra a subordinada.


Ex-secretária de Educação do município de Bacuri, Célia Neri havia sido indiciada em 2014 por irregularidades no processo de licitação de transporte escolar. A fraude acabou resultando na morte de oito e lesão corporal de outros oito estudantes da rede pública estadual de ensino, em um acidente ocorrido no dia 29 de abril do mesmo ano, no Povoado Madragoa, localizado no município. Apesar da Prefeitura de Bacuri ter dispendido de quase R$ 1,1 milhão para a contratação de serviços de transporte escolar, o esquema obrigava os estudantes a serem transportados em uma caminhonete do tipo “pau de arara”.


Durante as investigações, o Ministério Público do Maranhão encontrou diversas irregularidades no processo de contratação dos serviços de transporte escolar, como ausência do documento do termo de referência; a não publicação de resumo do edital e resultado da licitação; não realização de consulta de preços correntes no mercado e inexistência de concorrência licitatória; subcontratação integral de serviços de transporte escolar; e contratação de empresa para prestação de serviço de transporte escolar sem processo licitatório ou devido processo de dispensa de licitação. Diante das irregularidades citadas o MP-MA ajuizou a ação de improbidade administrativa, pedindo, ao final, pela condenação dos réus.


A sentença foi proferida pelo juiz Thadeu de Melo Alves, titular de Comarca de Bacuri, na última quinta-feira 28.



Devolução integral da verba


Na decisão,“considerando a extensão do dano causado à coletividade, a gradação da improbidade praticada, sua repercussão no erário”, o magistrado condenou Célia Neri ao ressaciamento integral do valor do contrato, de quase R$ 1,1 milhão.


Desse valor, 90% deve ser devolvido aos cofres públicos de modo solidário pela adjunta do Cerimonial do governo Flávio Dino e o prefeito José Baldoino da Silva Nery (PP), que teve seu mandato cassado. Os outros 10%, também solidariamente, deve ser ressarcido pelo empresário Andrew Ferreira, sócio da empresa Conservis Construções Comércio e Serviços Ltda, que consagrou-se vencedora do certame para a manutenção do transporte escolar.


Como foi condenada ainda à perda de suas respectivas funções públicas, Célia Neris terá de ser exonerada por Flávio Dino, imediatamente, sob risco do comunista incorrer em crime de desobediência. De acordo com o juiz Thadeu de Melo Alves, “considerando a gravidade das consequências geradas pelo ato ímprobo, bem com sua extensão”, foi determinado ainda a suspensão dos direitos políticos da adjunta do Cerimonial do Palácio dos Leões pelo período oito anos; multa civil, a ser paga solidariamente por todos os condenados, incluindo a empresa Conservis Construções, no valor correspondente a uma vez o valor do dano, de quase R$ 1,1 milhão, devidamente corrigida monetariamente, pelo INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor), e juros moratórios de 1,0% ao mês, contados da época do acidente que matou os estudantes até a data do efetivo pagamento.



Não sabia


Dias após a revelação feito pelo ATUAL7 de que estava abrigando uma indiciada no Palácio dos Leões, o governador Flávio Dino declarou, em entrevista ao jornalista Gilberto Léda, que não sabia do envolvimento de Célia Vitória Neri Silva e que fora informado do caso pela imprensa.


Acuado, o comunista alegou que apuraria o caso e cogitou “tomar providências”. Contudo, somente agora, após condenação na Justiça, é que ela deve cair, obrigatoriamente, do cargo.


“No caso dessa pessoa de Bacuri, eu estou tomando conhecimento agora. Vou apurar a situação e se, de fato, for esta, claro que nós vamos tomar providências”, declarou Dino na época.



Outro lado


Desde o dia da condenação de Célia Vitória Neris, o ATUAL7 procurou, insistentemente, o secretário-chefe da Casa Civil, Marcelo Tavares, para comentar o assunto, mas ele preferiu não omitir qualquer opinião a repeito. O subsecretário de Comunicação e Articulação Política, Robson Paz, também foi procurado, mas seguiu a mesma estratégia de Tavares e silenciou sobre a condenação da responsável por cuidar dos eventos do governador do Maranhão. A adjunta do Cerimonial do Palácio dos Leões também insistentemente foi procurada, inclusive por meio de outros funcionários do setor, mas evitou falar com a reportagem.

mark-zuckeberg-O Ministério Público Federal no Amazonas (MPF/AM) obteve, na Justiça Federal, o bloqueio de R$ 38 milhões da empresa Facebook Serviços On-line do Brasil Ltda. por descumprir decisão judicial que a obrigava a fornecer dados de cadastros e quebrar o sigilo de mensagens trocadas pelo aplicativo WhatsApp para fins de investigação.


O valor bloqueado corresponde ao montante das multas individuais de R$ 1 milhão estipuladas para cada dia de descumprimento da decisão judicial.


A aplicação de multas é uma das medidas previstas no Marco Civil da Internet (Lei 12.965/14). Antes, o Ministério Público faz uma advertência e tentativa de obter os dados necessários para investigação. Se não houver acordo, é aplicada multa individual. Se o valor da multa for acumulado e a empresa ainda assim não colaborar, pede-se o bloqueio das contas para pagar as multas. Se nada disso resolver, a Justiça decide sobre a suspensão temporária do serviço.


O Facebook Brasil argumenta que os conteúdos relacionados aos usuários estão sob responsabilidade dos operadores da empresa nos Estados Unidos e na Irlanda, sendo necessário procedimento de cooperação internacional para cumprimento da decisão.


Porém, o Marco Civil da Internet prevê que a legislação brasileira deve ser aplicada mesmo em relação a empresas sediadas no exterior, já que o Facebook oferta serviços ao público brasileiro e possui estabelecimento no Brasil.


O procurador da República Alexandre Jabur, critica a postura da empresa e ressalta que a medida de bloquear os bens é importante instrumento para tentar evitar um possível bloqueio do serviço. “A postura de não atendimento a ordens judiciais claramente se caracteriza como ato atentatório à dignidade da Justiça podendo, além da multa, vir a ser determinada a suspensão dos serviços da empresa no Brasil”, defendeu. Além da rede social, o Facebook também é responsável pelo WhatsApp e o Instagram. (Com informações MPF)

Vereador Armando CostaCarro da esposa do vereador Armando Costa está apreendido no Detran por falta de pagamento do IPVA .Que vergonha vereador.


Um veículo pertencente ao Vereadores do município de São Luis, foi apreendido pela Companhia de Militar Polícia Rodoviária, na tarde do último sábado (23), após ser parado em uma blitz da operação em São Luis


Segundo o subtenente , que coordenou a operação, o condutor do veículo não possuía CNH, ele também não estava com o documento de porte obrigatório, além de o Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) está atrasado, O carro foi rebocado para o pátio do Detran em São Luis, e só poderá ser liberado após regularização das pendências.

O Pleno do Tribunal de Justiça do Maranhão recebeu, na última quarta-feira 27, de forma unânime, denúncia contra o presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, deputado Humberto Coutinho (PDT), por suposto ato praticado enquanto exercia o cargo de prefeito da cidade de Caxias, onde mantém curral eleitoral.


A denúncia é do Ministério Público Maranhão, que acusa Coutinho pelo desvio de R$ 1 milhão. O dinheiro público seria proveniente de um convênio assinado entre a Prefeitura de Caxias e a Secretaria Estadual de Saúde, em maio de 2006. De acordo com o documento, o objeto do convênio era a aquisição de equipamentos para instalação de uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) no Hospital Dr. João Viana, que fica no município.


Durante as investigações, o MP-MA teria apurado irregularidades na aplicação das verbas recebidas, que não teriam sido aplicadas corretamente e a prefeitura não teria sequer instalado a UTI. Ainda segundo a denúncia, foi efetuado o pagamento de quatro empresas, contido não houve comprovação da realização do procedimento licitatório necessário.


Em sua defesa, Humberto Coutinho chegou a pedir o adiamento do julgamento e pediu a rejeição da denúncia, alegando ausência de justa causa e que os elementos levantados pelo Ministério Público teriam sido produzidos unilateralmente e se resumiriam à mera opinião. O presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão negou também a fragmentação, dispensa ou inexigibilidade da licitação.


Relator do processo, o desembargador José Bernardo Rodrigues decidiu receber a denúncia para que os fatos sejam devidamente instruídos, uma vez que não há provas de que o convênio foi devidamente cumprido pela Prefeitura de Caxias.


O magistrado ressaltou fatos, como o pagamento de dois equipamentos de Raio-X, que não foram instalados, e o impedimento aos técnicos da Secretaria de Saúde de realizarem inspeção no Hospital Dr. Jorge Viana.


“O processo irá permitir que a ampla defesa seja exercida e a regularidade do uso dos recursos possa ser demonstrada”, avaliou o desembargador.


Source: Atual 7 Politica

Marcio, Assunção e Pr.Assis afinal quem será o vice do PCdoB?


talitapcdobTalita Laci ainda não se decidiu sobre seu vice, uma hora e Marcio Greyck, Pastor Assunção e Agora Pastor Assis, afinal quem e o vice do grupo PCdoB, isso parece desespero do grupo que esta com medo de perder as eleições municipais de Raposa.


A explicação para tal receio é simples: o medo de perder a expectativa de poder. Sem credibilidade diante da classe política, não só pela incoerência como pela inconstância, e com a fama latente de não cumprir acordos e trair aliados e Correlegionários, Talita Laci se apega única e exclusivamente a expectativa de poder.

Só que a cada dia, com o crescimento da pré-candidatura de dos 3 Pré-candidatos Ocileia Fernandes, Eudes Barros e Felix Moreira estão cada vez mais crescendo espontaneamente em Raposa apara Decidir a Eleição Municipal de Raposa-MA.


vai diminuindo e o comunista sentindo o drama de reviver o mesmo filme de 2008 e 2012, só que agora em 2016, com requintes ainda mais de crueldade, afinal pode perder uma eleição que teoricamente estava ganha.

E Talita Laci sabe que a cada dia que se diminui seu grupo expectativa de poder, anteriormente praticamente unanime, diminui as suas chances de se tornar a Prefeita de Raposa-MA.

Governo Federal determinou preço de R$ 132,76 até R$ 138,53.
Não há previsão de distribuição nacional pelo SUS, segundo ministério.


vacina-sanofiA Dengvaxia, primeira vacina contra a dengue disponível no Brasil, vai custar de R$ 132,76 a R$ 138,53, de acordo com alíquota de cada estado, segundo anunciou a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), nesta segunda-feira (25).


A partir de agora, ela poderá ser comprada por hospitais e clínicas particulares. O consumidor, no entanto, deverá desembolsar um valor adicional, que varia em cada estabelecimento, pela aplicação do produto, como explica a agência.


De acordo com o Ministério da Saúde, ainda não há uma previsão de compra para o Sistema Único de Saúde. Serão feitos estudos de custo para a distribuição nacional e, caso seja viável, a vacina poderá ser distribuída de graça aos pacientes. O estado do Paraná, no entanto, já anunciou que deverá comprar 500 mil doses da vacina.


A Dengvaxia é produzida pelo laboratório francês Sanofi Pasteur e é uma imunização recombinante tetravalente, para os quatro sorotipos existentes da doença. Ela poderá ser aplicada em pacientes de 9 anos a 45 anos, que deverão tomar três doses subcutâneas com intervalo de seis meses entre elas.






DENGVAXIA (laboratório Sanofi Pasteur)


- primeira vacina contra dengue disponível no Brasil


- poderá ser aplicada em pacientes de 9 a 45 anos


- não tem 100% de eficácia


- serve para os quatro sorotipos da doença






Na própria bula da vacina, o laboratório informa que a Dengvaxia não protege 100% dos pacientes. Por isso, ela não substitui as recomendações anteriores do Ministério da Saúde.

A aprovação da vacina pelo governo brasileiro ocorreu em dezembro de 2015. Os testes apontaram uma redução de 81% das internações e 93% dos casos graves. Em média, 66% dos pacientes com os quatro sorotipos ficaram imunizados - 2 em cada 3 pessoas, segundo a Sanofi.

A vacina foi produzida com um vírus vivo atenuado e possui em sua estrutura o vírus vacinal da febre amarela, que lhe garante estabilidade. Os testes envolveram 40 mil pessoas em 15 países, em uma pesquisa clínica que resultou em 25 estudos. No Brasil, cerca de 3.500 pessoas de cinco cidades participaram das etapas de testes.


De acordo com o médico epidemiologista João Bosco, professor da Universidade Federal de Goiás (UFG) que participou dos estudos sobre a vacina, “a forma como a gente vinha fazendo prevenção de dengue era a mesma há anos. É a primeira vez que temos algo diferente”.

A pequena variação de preço se deve a diferenças de alíquotas de imposto em cada estado. A determinação do preço foi feita pelo Comitê Técnico Executivo da Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (CMED), composto por representantes dos ministérios da Fazenda, Saúde, Justiça, Desenvolvimento e Casa Civil, sendo que a Anvisa exerce a função de Secretaria Executiva da Câmara.


Os governos estaduais e o federal combatem o vírus com campanhas de prevenção nas residências, pedindo que os moradores evitem deixar água parada. A dengue é transmitida pelo mosquito Aedes aegypti, assim como a zika e a chikungunya.







Mosquito Aedes aegypti, transmissor do vírus da zika, em laboratório de São Paulo (Foto: AP Photo/Andre Penner, File)

Adoção pelo sistema público
No mês passado, o governo do Paraná já anunciou que fará uma campanha de vacinação contra dengue utilizando o produto da Sanofi Pasteur. De acordo com o laboratório, o estado deverá receber 500 mil doses -- 1 milhão de vacinas estão armazenadas em São Paulo desde a aprovação.

Para a presidente da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), Isabella Ballalai, a vacina deve trazer benefícios do ponto de vista individual, mas a possível adoção da vacina de dengue pelo sistema público de saúde deve levar em conta fatores como a incidência da dengue nas diferentes localidades, a capacidade de se conquistar uma boa adesão e o custo da vacina.

“Com certeza, do ponto de vista individual, a vacina tem benefícios e acredito que para grande parte das regiões onde a doença é endêmica, ela pode ter um impacto”, diz.

Um dos maiores desafios em relação a uma possível vacinação em massa, segundo Isabella, deve ser em relação à adesão. A vacina da Sanofi é destinada a pessoas de 9 a 45 anos de idade. “Esta é uma faixa-etária super difícil de vacinar. Seria preciso avaliar qual a melhor estratégia para a campanha. Não seria um programa de fácil implantação.”

De acordo com o laboratório, a vacinação em adolescentes deve ser o maior desafio. Ricardo Feijó, professor adjunto de Pediatria da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), diz que os jovens não tem propensão a se vacinar, que as maiores taxas de adesão ainda estão entre as crianças. "Ele [adolescente] tem a sensação que é de baixo risco à doenças".





maxresdefault-1-1-768x432O gameplay utiliza dados de localização para introduzir os Pokémons no mundo real. Assim, o jogador pode capturá-los para aumentar a sua coleção ou para dominar ginásios. Outra mecânica importante é o sistema de itens, que podem ser obtidos nos PokéStops. O game contará também com o Pokemon Go Plus, uma pulseira que promete ajudar o jogador na jornada para se tornar um mestre Pokémon. O game mostra gráficos bonitos para um jogo de celular leve, e a premissa de explorar a cidade torna Pokémon Go extremamente inovador. O AppKandroid testou o game, confira as primeiras impressões que tivemos.






Quantos Pokémon há no game?




Por ora, “Pokémon GO” só tem os 151 monstrinhos iniciais da franquia. A Pokémon Company ainda não revelou planos para acrescentar os remanescentes. Monstrinhos não faltam para isso. Atualmente, a franquia está em sua sexta geração e a lista de Pokémon já chegou a 721. O número aumentará com a chegada da dupla de games “Pokémon Sun & Moon”, em 18 de novembro, o que nos leva a outra questão…



DOWNLOAD APK 4.4+ : v0.29.3 APK Full  ( 58.1 MB)

Apesar do aplicativo ainda não estar disponível no Google Play brasileiro, usuários de dispositivos Android podem baixar o arquivo de instalação diretamente deste link para burlar a trava de região.




DOWNLOAD APK OPÇÃO MEGA: 4.4+ 





DOWNLOAD APK OPÇÃO MediaFire: 4.4+ 




DOWNLOAD MOD : ( 427 MB)

The Hack archive contains 5 Hacks + Anti Ban (Zip Files!; Pokemon GO APP; Hide Mock Location Module ; Fake GPS App; Go Maps App ; Poke Radar ; Xposed Pokemon Module E NOX APP For PC)






DOWNLOAD  POKEMON GO MOD APK para android 4.0+: 






 DOWNLOAD Pokémon GO GOOGLE PLAY:





 DOWNLOAD Pokémon GO App Store do iOS:




A versão atual do game requer aproximadamente 60 MB para os usuários do Android e 100 MB para usuários iOS. De acordo com o Google Play, para ser rodado o aplicativo precisa do Android 4.4 ou posterior. Já na App Store é necessário dispositivo com iOS 8.0 ou superior.







01. Baixe os arquivos do link  (apk)
02. Permitindo a instalação para fontes desconhecidas
03. Desconecte seu celular do computador, Se for o Caso
04. Abra o explorador de memória do seu celular,
05. Procure o APK e instale
06. Divirta-se!


 Pokémon GO: captura de tela  Pokémon GO: captura de tela

 

 


Marcone Caldas.Durante a solenidade, o Delegado Geral de Polícia Civil, Lawrence Mello, empossou na Delegacia Especial do Município de Raposa o novo delegado titular Marcone Caldas. Lawrence Melo afirmou que o trabalho de reestruturação das forças policiais no governo Flávio Dino está chegando a todas as regiões do estado, graças aos investimentos e ao trabalho integrado das polícias. “Preciso destacar a reintegração entre a Polícia Civil e a polícia Militar. Este nosso encontro hoje, é simbólico e determinante, com as duas polícias no mesmo local. Esta integração não é apenas no discurso, é real”, finalizou.


Participaram ainda da cerimônia de posse, o subcomandante Geral da PM, Jorge Luongo; o comandante do Cpam 2, o Cel. Celso Jardim da Silva; o comandante do 13º BPM, o Cel. Alexandre dos Santos; o superintendente da Polícia Civil da Capital (Spcc), Armando Pacheco;  o superintendente de Polícia Civil do Interior (Spci), Dicival Gonçalves; o delegado titular de São José de Ribamar, Jader Alves; o supervisor de Área  Integradas de Segurança Pública (SAISP) da área Norte, o delegado Augusto Barros; o Promotor Reinaldo Castro Jr; o chefe de gabinete do município de Paço do Lumiar, William Rios; a coordenadora do Instituto  Fernandes Pantera, a senhora Tati; secretários do município da Raposa e demais autoridades.

O ex-senador Eduardo Suplicy (PT), candidato a vereador em São Paulo, foi detido na manhã desta segunda-feira, 25, durante reintegração de posse na zona oeste da capital, por desobediência e obstrução à Justiça, segundo o capitão Eliel Pontirolli, da Polícia Militar. A PM cumpre desde às 5 horas reintegração de posse de um terreno ocupado por cerca de 350 famílias há pelo menos três anos na Cidade Educandário, na região da Rodovia Raposo Tavares. Suplicy foi levado para o 75º DP (Jardim Arpoador).


Houve confronto e troca de tiros entre moradores que protestavam contra a ação e policiais militares. Segundo os moradores, o confronto começou porque uma criança que morava no bairro foi atingida por uma bomba de gás lacrimogêneo, o que causou revolta. Alguns moradores revidaram, queimaram pedaços de madeira e atiraram contra os agentes. Um PM que estava de colete foi atingido.

O Portal R7 fez sua primeira publicação de imagem em 360° nesta quarta-feira, 15 de junho, do topo do Terraço Itália, em São Paulo – uma das primeiras do tipo no Brasil. A foto, que mostra a vista panorâmica de um dos pontos mais altos da capital paulista, foi feita em parceria com a empresa Tuti.

Já o primeiro vídeo utilizando a mesma tecnologia foi disparado pelo Facebook da Rede Record. Ele mostra bastidores da matéria exibida no programa Repórter Record Investigação desta quinta, 16: desde o switcher, acompanhando a gravação do apresentador Domingos Meirelles, à equipe que refez o trajeto do garoto Ítalo, de 10 anos, que roubou um carro em um condomínio de São Paulo e saiu dirigindo - até ser baleado na cabeça e morto pela polícia.

O recurso de foto em 360 foi anunciado há menos de uma semana, pelo Facebook, no perfil de seu criador, Mark Zuckerberg. O CEO da rede social publicou uma foto feita no topo da Torre 1 do novo World Trade Center, em Manhattan, Nova York.

Na publicação, destacou o grande “barato” dessas imagens: ver a imagem se mexer conforme você movimenta seu telefone, além da experiência imersiva de visualizá-la com um óculos de realidade virtual.

O R7 ultrapassou em maio a marca dos 12 milhões de fãs em sua página principal do Facebook, posicionando-se como a mais curtida do Brasil entre os veículos online e à frente de todos seus concorrentes. O feito foi destacado pelo Observatório da Imprensa, com base em um levantamento feito pelo Torabit, sistema de monitoramento, análise e mobilização nas redes sociais.

 

 

EdilazioJuniordeputadoO BLOG tem analisado bem de perto as movimentações no cenário político do município de Raposa e em busca de notícias exclusivas, se deparou com uma situação que pode causar uma verdadeira saia justa para a pré-candidata comunista Talita Laci, o deputado estadual Edilázio Jr e o governador Flávio Dino.


Ocorre que Talita Laci tem laços bem difíceis de serem desfeitos com o deputado Edilázio Júnior (PV), que vem a ser inimigo declarado de Flávio Dino. Nos próximos dias Talita Laci terá que realizar a convenção partidária do PCdoB e pelo que rege o protocolo dos bons políticos, terá que colocar no palanque, ao seu lado, seus grandes apoiadores que trocando em miúdos são os inimigos mortais Edilázio e  Dino. Será que Talita conseguirá realizar esta incrível façanha?


Ou será que o deputado Edilázio Jr será descartado, não sendo ao menos convidado para o evento?

o blog  fez uma lista com as datas e locais das reuniões; confira abaixo.
Partidos têm até o dia 5 de agosto para anunciar os candidatos.


As convenções partidárias políticas começaram no próximo dia 31, mas em Raposa-MA todas as reuniões estão marcadas para o próximo domingo (31). As convenções são responsáveis por divulgar os nomes dos candidatos ao cargo de prefeito, vice-prefeito e vereador de cada partido. O período das reuniões termina no dia 5 de agosto em todo o país.

O prazo para registro de candidatos pelos partidos políticos e coligações nos cartórios, deve ocorrer até as 19h, do dia 15 de agosto. Já o período da campanha eleitoral começa no dia 16 de agosto.

Abaixo, segue a tabela com as datas e locais das convenções partidárias anunciadas pelos partidos. Algumas siglas ainda não definiram, outros partidos ainda não informaram.










































CONVENÇÕES PARTIDÁRIAS EM RAPOSA-MA
PartidosData da convençãoLocal
PRB31 de JulhoRestaurante próximo a Radio União
PR31 de JulhoColégio Santo Antônio
PCdoB31 de julhoEspaço Estrela
PEN31 de julhoLocal Indefinido
PSB31 de julhoLocal Indefinido


 
[caption id="attachment_337" align="alignnone" width="685"]raposa-prefeito Os Pre-Candidatos a Prefeito de Raposa que ainda não estão definidos seus vices até o momento[/caption]

Com a aproximação das convenções partidárias, os grupo políticos de Raposa-MA ainda não se definiram como exemplo disso, o Pré-Candidato Eudes Barros, o Presidente da Câmara mesmo tendo seu Vice indicado pelo PMDB-MA, a quem diga que com esse vice a maioria dos seus pré-candidatos rejeitam a indicação do Prof. Afonso do PMDB-MA, segundo membros do grupo se não houver uma mudança de vice a maioria do pré-candidato estariam disposto a migrar para outros grupos, exemplo disso já começou com o Vereador Ivaldo e demais vereadores demostram insatisfação em defender a candidatura do grupo.


Já o grupo do PCdoB de Talita Laci despachou o ex-vereador  Márcio Greyck que teria sido trocado pelo Pastor Assunção que já teria sido vice nas eleições anteriores.


À candidata Ocileia Fernandes do PRB até o momento não confirmou o companheiro (a) de chapa, mesmo sendo uma das mais cortejadas pelas lideranças politicas.


O PEN tem como ex-vereador Felix Moreira, do qual expressiva liderança do Município de Raposa-MA, também não confirmou se teria a candidatura própria ou estaria disposto a somar com outro grupo.


O PSB com uma candidatura desconhecida confirma Maurício Almeida como pré-candidato a Prefeito desta legenda.


O Lourival Oliveira mesmo afastado da Rádio ainda não confirmou a sua pré-candidatura ou se apoiara um desses grupos políticos.

Praias e aguas mornas são os destinos de muitos turistas da Raposa.
Para quem tem um tempo de folga, opções de lazer na Ilha não faltam.


[video width="640" height="360" mp4="http://www.joceiltongomes.blog.br/wp-content/uploads/2016/07/G1-Conhea-o-roteiro-turstico-e-as-belezas-naturais-de-Raposa-MA-notcias-em-Maranho.mp4"][/video]


chegou as ferias pra se divertir, com ele chegam as tão sonhadas férias. Para quem tem um tempo de folga, opções de lazer na Ilha não faltam. São rios, mangues, praias, uma mistura de biomas que faz do município de Raposa, na Região Metropolitana de São Luís, um dos lugares mais belos do Maranhão e o destino das férias de muitas pessoas. Essa foi a dica sugerida pelo "Tô de Férias", exibida no JMTV 1ª Edição desta segunda-feira (1º).

Dunas e praias com águas mornas recebem o nome de "Fronhas Maranhenses" e, facilmente, atraem turistas como Valdeth Cardoso, que mora em Sergipe há 30 anos e é a segunda vez que vai à Raposa. “É um passeio fantástico! Eu fiquei deslumbrada. O Maranhão, que é minha terra natal, é, realmente, muito bonito", diz.

As embarcações ficam atracadas na área do Viva Raposa. Nelas, os turistas passeiam pela orla e área de mangue da cidade. Herbert Reis levou a família para a Raposa e aproveitaram juntos o banho no Banco de Sarnambi. "O momento do banho é muito bom, porque fica aquela expectativa de que a gente acha que é fundo. Só que quando a gente entra e fica com 50 centímetros de água e é só tranquilidade", conta.

Subir na duna não é tarefa fácil, mas a vista, lá de cima, faz o esforço valer a pena. A jornalista Susana Piñol veio de São Paulo para conhecer a Raposa, e se encantou com as belezas naturais do lugar. "É lindo ver essa diferença de biomas, do mangue, depois a gente vem pras dunas e depois tem praia", diz.

Marcos-Duarte-e1469188951397O maranhense, de 42 anos, que está entre os 10 suspeitos de planejar ataques terroristas nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, trata-se de Marcos Mario Duarte, de 42 anos, que usava o codinome na internet de Zaid Duarte. Convertido ao islamismo há mais de 10 anos, Marcos fundou, quando ainda morava em São Luís, a Sociedade Islâmica do Maranhão, organização religiosa, que tem como sede o bairro do Turu.

Atualmente, ele mora no município de Amparo, em São Paulo, e trabalha como garçom na cidade. Segundo informações de sites paulistas, o maranhense mantinha um time de rúgbi, que era usado para cooptar jovens para o islamismo radical. A equipe de reportagem vinha monitorando algumas redes sociais do suspeito e teve acesso a várias declarações dele de incitação ao terrorismo.

Marcos Duarte, que nasceu no dia 8 de maio de 1974, estudou durante o ensino médio no Colégio Pinheirense, escola católica que fica no interior do Maranhão. Ele se envolveu em alguns processos trabalhistas no interior paulista e, antes de desativar sua conta no Facebook, ostentava fotos com fuzis Ak-47, modelo que ficou conhecido por ser usado pelo terrorista saudita Osama Bin Laden.

A autenticidade da foto não foi comprovada, mas ele afirmava ser ele mesmo na imagem. Em reportagem do Bom Dia Brasil (TV Globo), policiais federais afirmaram que o grupo terrorista brasileiro tinha negociação para adquirir esse tipo de armamento no Paraguai.Em uma de suas postagens na rede social Google+, na qual tem quase 2 mil seguidores, Duarte usou o título “Estado Islâmico, uma história de amor”. Em várias destas postagens, ele recebeu mensagens, inclusive de maranhenses, se solidarizando pela causa e mostrando interesse em se converter.

É bom lembrar que, há alguns meses atrás, o programa Fantástico (TV Globo) divulgou uma reportagem sobre a história do desaparecimento de uma universitária paraense, chamada Karina Ailyn Raiol Barbosa, de 20 anos, que era estudante da Universidade Federal do Pará (UFPA), em Belém, e saiu do Brasil por São Paulo, sem avisar a família. Segundo os parentes, a jovem se converteu ao islamismo há cerca de dois anos, e teria sido aliciada para sair do país.

Marcos Duarte teria uma ligação com um inglês, que se identificava como Jonathan Kemp, e jurou fidelidade ao Estado Islâmico. Ele chegou a usar o dispositivo de doação coletiva para financiamento da causa. Em seu juramento, ele usou a frase: “Estou vivo para ser um khamikasse (referência aos suicidas japoneses da Segunda Guerra Mundial). Allah é o maior”.
Marcos deve ser levado para um presidio federal em Mato Grosso com mais nove pessoas. Segundo informações do G1 de São Paulo, o suposto chefe do grupo é de Curitiba. De acordo com a Polícia Federal, o juiz Marcos Josegrei da Silva, da 14ª Vara da Justiça Federal do Paraná, expediu 12 mandados de prisão temporária por 30 dias.

VEJA ABAIXO A LISTA DOS SUSPEITOS DE PLANEJAR OS ATAQUES








Lista com nomes das pessoas suspeitas de planejar ataque terrorista no

Brasil

O Superior Tribunal Eleitoral divulgou os limites dos valores que cada candidato pode gastar nesta campanha municipal de 2016. São valores considerados irrisórios em relação as campanhas anteriores.  Em Raposa, por exemplo, o estabelecido para prefeito ficou em R$ 108.039,06, e para vereador só pode gastar até R$ 36.995,64.


Ora, para quem conhece campanhas ou dela tem participado, esses valores estabelecidos já devem ter sido gastos mesmo antes das convenções, principalmente para vereador no Maranhão, e os candidatos a prefeitos, os que estão mesmo concorrendo para vencer, já devem ter torrado perto da metade.


Confira abaixo o valor que o candidato a prefeito e a vereador pode gastar em cada cidade do Maranhão:


tse valores
A Justiça do Rio de Janeiro decidiu que o WhatsApp seja bloqueado em todo o Brasil, informou a GloboNews nesta terça-feira (19); veja reportagem no vídeo acima. Uma notificação foi enviada para as empresas de telefonia após o Facebook se recusar a cumprir uma decisão judicial e fornecer informações para uma investigação policial.
 daniela Barbosa manda as operadoras suspenderem o acesso imediatamente. Segundo a GloboNews, as provedoras de conexão foram notificadas da decisão por volta das 11h30.

O Facebook informou que não vai se manifestar e a assessoria do Whatsapp disse que não tem ainda uma posição sobre a decisão. Esta é a quarta vez que um tribunal decide pela suspensão do acesso ao aplicativo no Brasil.

O Sindicato das Operadoras de Telecomunicações (Sinditelebrasil) informou que ainda não tem informações sobre o caso. Procuradas pelo G1, Claro, Vivo e Tim afirmam que ficaram sabendo do bloqueio pela imprensa e ainda não possuem um posicionamento.

'Impossibilidades técnicas'
Segundo Barbosa, o Facebook, empresa proprietária do WhatsApp, foi notificado três vezes para interceptar mensagens que seriam usadas em uma investigação policial em Caxias, na Baixada Fluminense. A juíza acrescentou que a empresa respondeu através de e-mail, em inglês, "como se esta fosse a língua oficial deste país" e tratou o Brasil "como uma republiqueta". O Whatsapp diz não cumprir a decisão "por impossibilidades técnicas".

O bloqueio anterior do Whatsapp foi em maio de 2016. Outro bloqueio aconteceu em dezembro de 2015, quando a Justiça de São Paulo ordenou que as empresas impedissem a conexão por 48 horas em represália ao WhatsApp ter se recusado a colaborar com uma investigação criminal.O aplicativo ficou inacessível por 12 horas e voltou a funcionar por decisão do Tribunal de Justiça de SP.
Ícone do Whatsapp, um dos aplicativos de conversa mais populares do mundo, é visto na tela de um smartphone (Foto: Fábio Tito/G1)Ícone do Whatsapp, um dos aplicativos de conversa mais populares do mundo, é visto na tela de um smartphone (Foto: Fábio Tito/G1)

Bloqueio em maio
A investigação que culminou no bloqueio em maio foi iniciada após uma apreensão de drogas na cidade de Lagarto, a 75 km de Aracaju. O juiz Marcel Montalvão pediu em novembro de 2015 que o Facebook informasse o nome dos usuários de uma conta no WhatsApp em que informações sobre drogas eram trocadas. As informações desse processo corriam em segredo de Justiça.

Segundo o delegado Aldo Amorim, membro da Diretoria de Combate ao Crime Organizado da Polícia Federal em Brasília, a investigação foi iniciada em 2015 e esbarrou na necessidade informações relacionadas às trocas de mensagens via WhatsApp, que foram solicitadas ao Facebook. A empresa não cumpriu a decisão.
[caption id="attachment_300" align="alignleft" width="469"]User comments User comments[/caption]

A lei que obriga todos os motoristas a transitarem com o farol baixo ligado durante o dia nas rodovias, sancionada nesta semana, pode reduzir o número de mortes no trânsito, segundo especialistas. A alteração no Código de Trânsito Brasileiro (CTB) entrará em vigor em 8 de julho. Os motoristas têm 45 dias para se adaptarem à mudança. Depois disso, quem se esquecer de ligar os faróis estará cometendo uma infração média.


Embora possa gerar mais custos para os motoristas, que terão de trocar as lâmpadas dos faróis com mais frequência, sobre os pardais tinha um erro de ate 50% na visibilidade e com essa nova lei, agora os pardais diminuem os erros de 50% para 2% em ai ira gera mais rendas para o governo que ganha com isso não e muito bom para os condutores, com as lanternas a mudança é elogiada por especialistas em trânsito. Isso porque o custo dessa manutenção é insignificante diante dos acidentes que ela pode evitar.



ouça o Áudio só ex Comandante de Operações de Multa e recuso de multa do Paraná


[audio mp3="http://www.joceiltongomes.blog.br/wp-content/uploads/2016/07/Pm-ex-comandante.mp3"][/audio]

wilsonhá 12 anos o SR. Wllisses lopes almeida, criou o mutirão que mudou a história de dezenas de famílias raposenses. com isso ficou conhecido como: “wllisses do mutirão”, ao construir 46 casas para pessoas que no momento estavam sem condições para construir um lar.


hoje, como delegado sindical de raposa, seu wllisses, comunica a todos os raposenses que o mutirão lar solidário está de volta com suas atividades. e  agora com o apoio total do sindicato da construção civil do maranhão (sindconstrução civil-ma).


este mutirão tem como objetivo, amenizar uma grave situação que infelizmente ainda atinge centenas de moradores de raposa. trata-se do grande déficit habitacional, que existe em nossa cidade.


para que pessoas sem condições de construir,  possam sonhar com a construção de sua casa própria, é que este mutirão está de volta.


essa é a missão da delegacia sindical de raposa. proporcionar aos moradores de nossa cidade, inclusão, valorização e garantia de oportunidades.


delegacia sindical de raposa – união e trabalho


maiores informações: 98767558005

04 03 02 01

Como tantas outras Paulas filhas deste País, Paula levanta cedo da cama com o tilintar do despertador. Não raro, o marido, Rafael, já está de olhos abertos. Pela manhã, ela mantém uma rotina nada estranha à maioria das pessoas de classe média. Vai ao cabelereiro, faz compras para abastecer a despensa de casa, reserva uns minutos para o pilates e uma ida rápida à clínica de estética, e, eventualmente, dá uma passadinha no pet shop. Depois de almoçar, leva o filho à escola. À tarde, dirige-se ao trabalho, obrigação já cumprida pelo marido de manhã. Como tantas outras Paulas filhas deste País, Paula seria apenas mais uma brasileira se não carregasse em sua assinatura o sobrenome Rousseff.



Porto Alegre, 12 de julho. 13h40 O genro de Dilma Rousseff, Rafael Covolo, busca o filho na escola com carro oficial. A placa é fria para evitar identificação. Outro veículo também bancado pelo governo o escolta.

Perante à lei, filhos de presidente da República são iguais a todos. Ombreiam-se aos demais cidadãos. Não deveriam merecer distinção ou receber tratamento especial, salvo em alguns casos de excepcionalidade. Mas a filha de Dilma, que hoje se encontra afastada, ou seja, nem o mandato de presidente exerce mais, não se constrange em cultivar uma mordomia ilegal. Diariamente, Paula Rousseff Araújo desfruta de uma regalia. A máquina do Estado a serve, bem como ao seu marido e filhos. As atividades narradas acima, como uma frugal ida ao cabelereiro, ao pilates e ao pet shop, são realizadas a bordo de um carro oficial blindado com motorista e segurança. Em geral, um Ford Fusion. Acompanha-os invariavelmente como escolta um Ford Edge blindado com dois servidores em seu interior, um deles um agente de segurança armado. O mesmo se aplica ao genro de Dilma, Rafael Covolo, e aos dois netos. No total, oito carros e dezesseis pessoas integram o aparato responsável pela condução e proteção da família da presidente afastada. Trata-se de um serviço VIP.


2432-BRASIL-MORDOMIAS+CAPA-03


Quem banca essa estrutura é o Gabinete de Segurança Institucional da Presidência. Ou seja, o contribuinte. Nas últimas semanas, reportagem de ISTOÉ flagrou os carros oficiais entrando e saindo do condomínio Vila de Leon, zona sul de Porto Alegre, onde moram os familiares de Dilma, para levá-los a compromissos do dia a dia. A rotina dos Rousseff segue um padrão. O 6 de julho dos descendentes da presidente afastada não foi muito diferente dos dias anteriores. Às 18h30, uma quarta-feira, o Fusion blindado escoltado pelo Ford Edge também à prova de balas trouxe a família de volta ao lar, depois de transportá-la para uma série de atividades pessoais. No dia seguinte, às 9h da manhã, os mesmos carros já estavam de prontidão na porta da casa da filha de Dilma para mais uma jornada por Porto Alegre. No dia 12/07 às 13h40, Rafael Covolo, marido de Paula, foi buscar um dos filhos na escola. Como de praxe, com o carro oficial. Um automóvel pago com dinheiro público os escoltou até o retorno para casa. O Fusion levava a placa IVF – 3267 (normalmente é esta ou a IVG – 1376) e o Edge IUF – 3085. Se consultados nos registros do DETRAN, os prefixos figurarão como “inexistentes”. Sim, são placas frias ou vinculadas, inerentes aos chamados carros oficiais de representação.



7 de julho. 9h - Dois veículos oficiais, um para transporte e outro para escolta , buscam os familiares de Dilma no condomínio onde moram

Nos locais freqüentados por Paula Rousseff, em geral, há um alvoroço quando ela desembarca com o carro oficial e os seguranças em volta. Embora a filha da presidente afastada tente manter a discrição, não há como não reconhecê-la. O aparato em torno dela desperta a atenção dos funcionários. O atendente da unidade do “Bicho Pet Store”, localizada no bairro Menino de Deus, zona sul de Porto Alegre, diz que Paula é uma cliente assídua. Costuma levar para procedimentos de banho e tosa um cachorro de pequeno porte, semelhante a um shitzu. “A filha da presidente sempre vem ao petshop acompanhada de um monte de seguranças”. O mesmo serviço de transporte vip bancado pelo governo, composto por carro oficial e escolta, a conduz até o “Studio Martim Gomes Pilates”, na Vila Assunção. “Dona Paula vem aqui com freqüência. É nossa cliente”, atesta um funcionário da clínica. A equipe do salão Oikos Hair, também no bairro da Vila Assunção, é mais comedida ao falar de Paula. Questionada por ISTOÉ, uma secretária disse: “A Dilma já veio aqui também. Parou de vir faz tempo (…) Sobre a dona Paula …por razão de segurança não posso desmentir nem confirmar nada”.



6 de julho. 18h30 - Carros oficiais deixam os Rousseff em casa, um condomínio na zona sul de porto alegre

A mordomia de Paula Rousseff e Rafael Covolo, além de constituir inaceitável privilégio, é também uma benesse totalmente ilegal. A legislação é clara. Reza o artigo 3º do decreto 6.403 de março de 2008, baixado pelo ex-presidente Lula: os veículos oficiais de representação – como os que transportam a família de Dilma – são utilizados exclusivamente pelo presidente da República, pelo vice-presidente, pelos Comandantes da Marinha, do Exército e da Aeronáutica e pelo Chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas e por ex-presidentes da República. A única exceção que permitira que filhos de presidente desfrutassem desse privilégio é se fossem usados os chamados carros oficiais de transporte institucional. Com um condicionante: “se razões de segurança o exigirem”. Não é o caso, definitivamente. Primeiro porque carro institucional não possui escolta armada nem placa vinculada ou fria, como os veículos que servem a família de Dilma. Ainda de acordo com instrução normativa do Contran, veículo institucional é identificado com a expressão “governo federal” na cor amarelo ouro e tarja azul marinho. Nenhum dos carros usados por Paula e Rafael Covolo exibe esta inscrição. Mesmo que eles utilizassem esse tipo de veículo, haveria uma outra barreira de cunho legal.



7 de julho. 17h - veículos bancados pelo governo buscam o neto de Dilma na escola. no trajeto, o Ford Edge (acima) escolta o Ford Fusion blindado

Os Rousseff só poderiam ser enquadrados nessa situação totalmente excepcional se: 1) Comprovassem a existência de riscos à sua integridade física e 2) Fossem familiares de presidentes em exercício. Quer dizer, hoje o deslocamento da filha, genro e netos de Dilma a bordo de veículos oficiais compõe um mosaico de irregularidades. Se a mamata já seria desnecessária e ilegal com a presidente Dilma no pleno exercício do cargo, em se tratando da chefe do Executivo federal afastada a regalia ofertada à Paula Rousseff, Rafael Covolo e filhos afronta sobejamente a legislação em vigor. Por ironia, o decreto que estabelece regras para a utilização dos carros de governo foi reeditado com pequenas alterações por Dilma em outubro do ano passado, com o objetivo, segundo ela, de “racionalizar o gasto público no uso de veículos oficiais”. A racionalização, claro, não alcançou sua família, como se nota.



14 de julho. 11h30 - O Ford Fusion oficial aguarda um dos filhos de Paula Rousseff em frente à escola

Os serviços de transporte e segurança dos Rousseff em Porto Alegre estão a cargo de uma empresa terceirizada contratada pelo Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República: a Prime Consultoria e Assessoria Empresarial, conforme documentos aos quais ISTOÉ teve acesso. Todo mês, a Prime encaminha ao Palácio do Planalto um relatório de abastecimento dos veículos. A última nota foi emitida no dia 1º de julho. Na prestação de contas estão listados os veículos, suas especificações, bem como as respectivas placas vinculadas, sem registro no DETRAN, e os motoristas responsáveis por atender aos familiares da presidente afastada na capital gaúcha. Em junho, por exemplo, foram gastos só com combustível R$ 13,8 mil. Os familiares de Dilma não precisariam de carros oficiais para o cumprimento de suas tarefas diárias. Paula Rousseff é procuradora do trabalho no Rio Grande do Sul. Entrou no Ministério Público do Trabalho em 2003 por meio de concurso público. Atualmente, recebe salário de R$ 25.260,20. Para quê a mordomia com dinheiro público? Por que o genro de uma presidente afastada precisa usar carro oficial para a execução dos afazeres cotidianos?



TUDO EM CASA Dilma com a filha e o neto, durante evento no Planalto
TUDO EM CASA Dilma com a filha e o neto, durante evento no Planalto

Na política, se não forem estabelecidos limites, necessários à liturgia do cargo, a família tem grande potencial para gerar constrangimentos. Sobretudo porque eventuais privilégios desfrutados por filhos dizem mais sobre os pais do que os próprios herdeiros. No Brasil, um País de oportunidades desiguais, regalias a parentes de políticos chamam muita atenção e, em geral, são consideradas inaceitáveis e despertam indignação e sensação de injustiça na população. Quando a prática é ilegal, a situação se agrava. Por constituir vantagem ilícita a terceiros e atentar contra os princípios da administração pública, o episódio em questão pode até render um processo contra Dilma por improbidade.


2432-BRASIL-MORDOMIAS+CAPA-09


Procurado por ISTOÉ, o Gabinete de Segurança Institucional da Presidência afirmou que “permanece realizando a segurança da Presidenta Dilma e de seus familiares, de acordo com o disposto no inciso VII do Art 6º da Lei Nr 10.683, de 28 de maio de 2003”. O problema é que o referido “amparo legal” não prevê o uso de carros oficiais para fazer o transporte da família da presidente afastada. Em tese, apenas a escolta para segurança seria permitida.


Diz o inciso VII do Art 6º da Lei Nr 10.683: ao Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República compete zelar, assegurado o exercício do poder de polícia, pela segurança pessoal do Presidente da República, do Vice-Presidente da República e respectivos familiares, dos titulares dos órgãos essenciais da Presidência da República e de outras autoridades ou personalidades, quando determinado pelo Presidente da República, bem como pela segurança dos palácios presidenciais e das residências do Presidente da República e do Vice-Presidente da República.


Três dias antes de deixar a Presidência, em 2010, Lula fez questão de assegurar aos seus filhos a dispensável regalia do passaporte diplomático. Revelada pela imprensa, a esperteza engoliu o dono. Em novembro de 2013, a Justiça determinou a apreensão dos passaportes e o recolhimento dos mesmos pelo Itamaraty. Depois do impeachment de Dilma, o tema voltou à baila com a apimentada discussão sobre eventuais mordomias a que a presidente teria direito afastada do cargo. Uma ação civil pública questionou o uso por Dilma de aviões da FAB. A Justiça até permitiu o deslocamento com os jatos da Força Aérea Brasileira, desde que custeados pela própria mandatária afastada. Recentemente, apoiadores do PT se cotizaram para bancar as viagens. Pela trilha da carruagem, hoje já abóbora, haja crowdfunding militante (a popular vaquinha) para sustentar os privilégios de petistas e congêneres que ainda insistem em se refestelar com as benesses do Estado.


2432-BRASIL-MORDOMIAS+CAPA-12



“É ilegal, mas eles usam mesmo assim”


Na quinta-feira 14, ISTOÉ conseguiu fazer contato com um dos responsáveis pela frota de carros oficiais que serve a família da presidente Dilma Rousseff em Porto Alegre. Com medo de retaliação, ele pediu para não ser identificado


2432-BRASIL-MORDOMIAS+CAPA-11


ISTOÉ – Quantos carros oficiais a família de Dilma tem à disposição?
São oito carros blindados de fábrica. Quatro para o transporte e mais quatro que fazem a escolta armada. É um serviço VIP. No carro oficial e no veículo de escolta há um motorista e um segurança. No total, são quatro pessoas envolvidas para cada dupla de carros.


ISTOÉ – Desde quando a filha, o genro e os netos da presidente afastada contam com o serviço de transporte e segurança pago pelo governo?
Há pelo menos cinco anos. São carros de representação com placa vinculada ou placa fria para não serem identificados. Se você consultar no DETRAN, aparece como placa inexistente.


ISTOÉ – Além de se tratar de uma mordomia, a utilização de carros de representação por familiares de presidente da República é ilegal.
Sim. É ilegal. Mas eles usam mesmo assim. Eles até poderiam usar uma escolta. Não sou PMDB nem nada. Mas, por exemplo, a Marcela Temer (atual primeira-dama) usa a escolta para segurança. É normal. Mas sabemos que, quando morava sozinha em São Paulo, ela ia para compromissos pessoais com o carro dela. Não com carro oficial. Isso que a família de Dilma faz contraria a lei.


ISTOÉ – Nossa reportagem apurou que a filha de Dilma leva o filho à escola, vai para o pilates, pet shop, clínica de estética e até ao cabelereiro com os veículos pagos pelo governo. O genro também usa os carros oficiais para atividades semelhantes. O sr. confirma essa informação?
Confirmo. Os carros oficiais os levam para atividades do dia a dia.

LISTA TCU INELEGIVEIS 2016 ALAGOASO Maranhão possui 549 pessoas na lista enviada pelo Tribunal de Contas da União (TCU) ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), este mês, de potenciais inelegíveis para as eleições de 2016. O grupo teve contas julgadas irregulares e pode ser condenado pela Corte Eleitoral à inelegibilidade.

Conforme o TCU, os 549 responsáveis do Estado estão envolvidos em 1.177 ocorrências. A análise do órgão verifica a gestão de recursos públicos federais que foram realizadas nos últimos oito anos. A lista completa do TCU, com os 26 estados e o Distrito Federal, tem 6.738 nomes de pessoas.

As contas podem ser reprovadas pelo TCU por mera omissão na prestação de contas, em que não há necessariamente um dano ao erário, ou por casos mais graves, como corrupção e gestão ilegal dos bens públicos. Envolvem pessoas com ou sem cargo público que administraram recursos de vários tipos, como os destinados a bolsas de estudo ou até para realização de obras federais.

A sanção de torná-las inelegíveis tem como base a Lei da Inelegibilidade. A regra prega que são inelegíveis as pessoas que tiverem as contas rejeitadas por irregularidades insanáveis e que tenham cometido ato de improbidade administrativa no exercício de cargo ou função pública. A lista será atualizada diariamente e poderá crescer até o último dia do ano.


VEJA A LISTA DOS INELEGÍVEIS NO MARANHÃO 

prof-afonso


Nome: Afonso Wermerson de Sousa Dias
Idade: 33 anos (13/04/1983)
Naturalidade: São Luís/MA
Estado Civil: Solteiro(A)
Ocupação: Professor de Ensino Médio
Escolaridade: Superior Completo


Mesmo diante dos descontentamentos do grupo prefeito Clodomir o maior apoiador de Eudes impõe o filho de Lavina como vice na chapa de Eudes.
o que acaba sendo mais um balde de água fria na já fracassada campanha que tem como principais cabos eleitorais Clodomir e Ivonete.

Matéria dos vice oficial 2Faltando cerca de 23 dias para as aguardadas convenções partidárias municipais, que homologarão os propensos candidatos à sucessão municipal, os bastidores políticos em Raposa andam em clima de tensão total.


Uma das maiores preocupações dos atuais pré-candidatos ao cargo majoritário, encontra-se na escolha de vice para compor chapa.


Alguns partidos aparentam estarem bem definidos quanto a esta questão, já outros encontram extremas dificuldades e encaram esta tarefa como uma peça fundamental que pode alancar ou destruir todo um planejamento traçado para estas eleições.  Quem vive de perto esta situação é a pré-candidata comunista, Talita Laci [ PC do B].


Talita “namora” hoje, vários nomes para a função, são eles: Marcio Greik, Jorge Otoch, Cariolano, Assunção, Brandão, Alan Madeireira, Zé Riba, entre outros. O fato é que esta indecisão provoca uma forte tensão nas fileiras do PCdoB raposense.


O nome mais cotado dentre os citados acima parece ser mesmo o do ex-vereador Márcio Greik, este já foi até flagrado em conversas pelo whatsapp confirmando esta tese, mas o grupo sofre pressão do ex-vice da chapa na eleição de 2012, Raimundo Assunção, que tem a pretensão de repetir o feito, caso contrário, Assunção, que possui um número volumoso de familiares [e já voltou pra Igreja de origem], afirma que seguirá em outra direção. Esta vaga ainda é preiteada pelos empresários Jorge Otoch e Alan Madeireira, além do ex-prefeito de Maranhãozinho, José Brandão, do militante histórico das campanhas da família Laci, Zé Riba e pelo ex-candidato a vereador, Cariolano, este último, já confidenciou à familiares e amigos que só fica no grupo comunista se for o escolhido.


Outras lideranças do grupo caminham em direções opostas a esta tese, e defendem ferrenhamente que um nome de fora do grupo possa ocupar este espaço, deixando os citados de lado. O problema para os defensores deste pensamento, é que nenhum outro pré-candidato  de outro grupo ou partido político simpatiza desta ideia. É que as sucessivas derrotas eleitorais dos últimos três pleitos [2004,2008 e 2012] geram imensas desconfianças em uma possível vitória nas urnas este ano, o que dificulta ainda a mais as articulações vermelhas.


De modo que os “coronéis” comunistas, não devem estar tendo boas noites de sono.  O “quebra-cabeças” tem poucos dias para ser fechado, e irá  definir o futuro do fragilizado grupo do PCdoB de Raposa.

2016-07-13t223229z_1288488592_s1aetpkoblaa_rtrmadp_3_brazil-politics_aVkIS00O deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), 46 anos, eleito nesta quarta-feira (13) como novo presidente da Câmara dos Deputados, assumirá o lugar de Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que estava afastado do cargo e renunciou na semana passada. Na disputa em segundo turno, ele derrotou Rogério Rosso (PSD-DF).


O parlamentar, que integra a base aliada de Michel Temer, era um dos favoritos à sucessão, contando com o apoio de deputados do PPS, PSDB, PSB, além dos colegas de partido.



 Em 2006, liderou a oposição no Congresso para apurar o escândalo do mensalão e chegou a dizer no plenário que havia motivo para que o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva respondesse por crime de responsabilidade, o que poderia resultar em um impeachment. Ele também integrou as CPIs dos Correios e a Mista da Petrobras.

Maia foi cotado para ser líder do governo Temer, que acabou escolhendo André Moura (PSC-SE), apoiado por Eduardo Cunha e partidos do “Centrão”.


O deputado defendeu o afastamento de Cunha, de quem já foi aliado, após as acusações de envolvimento no esquema de propina da Petrobras.


Maia é deputado federal pelo Rio de Janeiro há cinco legislaturas. Foi eleito para o primeiro mandato em 1998. Tentou se eleger prefeito do Rio em 2012, tendo Clarissa Garotinho (PR-RJ) como vice.


A chapa, estimulada por seu pai, o ex-prefeito Cesar Maia, e o ex-governador Anthony Garotinho (PR), obteve somente 3% dos votos e perdeu para Eduardo Paes, com 64% dos votos válidos.


Rodrigo Maia nasceu no Chile e se mudou para o Brasil aos 3 anos com a família. Pai de quatro filhos, é casado com Patricia Vasconcelos, enteada de Moreira Franco, secretário executivo do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI) da Presidência da República.


O casamento foi marcado por protesto e tumulto em 2005, quando estudantes exibiram cartazes “não procriem” em protesto contra a retirada de mendigos e camelôs da praça em frente à igreja pela Guarda Municipal por causa da cerimônia. Na igreja estavam três então presidenciáveis, o governador de Minas, Aécio Neves, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, e o prefeito de São Paulo, José Serra.


Antes de entrar para a política, Rodrigo Maia trabalhou por sete anos nos bancos BMG e Icatu.


Em 2015, foi presidente e relator da proposta de reforma política. É presidente da Comissão Especial da DRU (Desvinculação das Receitas da União). Atualmente é membro efetivo das Comissões de Finanças e Tributação.


Maia assumiu a presidência nacional do Democratas em 2007, partido que ajudou a criar, após ter sido vice-líder do PFL entre 2003 e 2005 e líder da bancada do partido na Câmara até 2007.

talita-no-carroTalita Laci pré-candidata e ex-prefeita de Raposa-MA  recebeu mandato de Citação a devolver ao município de raposa pelos desvios de verbas de município todos do município de Raposa-MA sabe o que a ex-prefeita de raposa fez durante os 2 meses e meio que passou na administração do município e a juíza de raposa deu a sentença de ressarcimento de danos ao município aos desvios de verbas do município aqui esta o processo em tramitação contra a ex-prefeita e pré-candidata que não sabe se vai ter a candidatura registrada pelo TSE.


Veja o processo Nº  31-60.2016.8.10.0113
WhatsApp-Image-20160713

A decisão da Justiça ainda cabe recurso. Todos os acusados disseram que vão recorrer da decisão. No prazo de 15 dias Eles podem entrar com esse recurso e permanecer em liberdade durante o processo.

Institutos de pesquisas podem ser direcionado resultados em raposa

Ilustração-pesquisas-eleitorais-dos-partidos-01-e1449750870828Contratada pela empresa de Helena e Jorge Pavão é a mesma que apontava a vitória de Mary Guerreiro em 2012. Divulgadores do levantamento com incorreção devem ser multados pela Justiça Eleitoral.

Devido a incorreção, de não divulgar o nome da contratada para a realização da pesquisa, isto é, o nome Mape Produções e Publicidade e não IMAP - Pesquisa de Opinião Pública, de acordo com o Artigo 10, inciso V, da Resolução n.º 23.453, que dispõe sobre pesquisas eleitorais para o pleito de 2016, tanto a empresa de Sônia Maria Lima como os sites, blogs, rádios e jornais que divulgaram o resultado do levantamento devem ser multados pela Justiça Eleitoral, em valor que vai de R$ 53 mil a R$ 106 mil.


Grupos contentarão resultados de supostas pesquisas direcionadas a grupo políticos de raposa, ainda os grupos que não aceitam os resultados destas pesquisas realizadas pelos institutos (ESCUTEC e IMAP)


Uma pesquisa de intenção de votos realizada no município de Raposa, no período de 3 a 5 de julho revela um empate técnico entre os pré-candidatos a prefeito Eudes Barros e Talita Laci.


No cenário estimulado, que permite ao eleitor saber quais são os candidatos de seu município por meio de um “cartão-disco” apresentado na hora das entrevistas, Eudes Barros aparece com 28,2% das intenções de voto, já Talita Laci vem com 27,3% configurando assim empate técnico, a candidata Ociléia aparece com 13,3%, e Moreira com 4,4%.


Indecisos


Um quesito que chama a atenção na pesquisa é o alto índice de indecisos, que somados aos que disseram que não votam em nenhum dos candidatos chega a 26,8% do eleitorado (conforme gráfico abaixo) demostrando assim que a corrida eleitoral em Raposa está aberta e os pretensos candidatos terão um longo caminho a percorrer em função de conquistar esses eleitores.

Faltando menos de quatro semanas para que todos os partidos definam suas candidaturas para a eleição de outubro próximo, o secretário de Comunicação e Articulação Política, Márcio Jerry Barroso, revelou pelas redes sociais que o governador Flávio Dino (PCdoB) pretende lançar e apoiar um consórcio de candidatos para manter-se no controle dos cofres da Prefeitura de São Luís. O consórcio, segundo o próprio Jerry, é formado pelo prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT), o deputado estadual Bira do Pindaré (PSB), e a deputada federal Eliziane Gama (PPS).





[caption id="attachment_26701" align="alignleft" width="509"]Governador Flávio Dino apoiará três candidatos à Prefeitura de São Luís, revela Márcio Jerry REPRODUÇÃONEUTRALIDADE ZERO!Governador Flávio Dino apoiará três candidatos à Prefeitura de São Luís, revela Márcio Jerry[/caption]


A ideia, segundo corre nos bastidores desde a revelação de Jerry, é conter a possível vitória do pré-candidato a prefeito Wellington do Curso, que avança nas pesquisas de preferência do eleitoral da capital e já aparece em empate técnico na liderança com os outros dois adversários.


Na declaração bombástica, embora tenha falado inicialmente em nome do PCdoB, partido ao qual comanda o diretório estadual, Márcio Jerry fez-se de porta voz do próprio Flávio Dino, e afirmou que apenas Holanda Júnior, Pindaré e Gama fazem parte de uma coalização liderada pelo governador. A declaração, no entanto, confronta com discurso anterior do próprio Jerry, de que Dino se manteria neutro na disputa.


Pela estratégia palaciano-comunista, o plano principal é reeleger Edivaldo. Contudo, caso a possibilidade de derrota do pedetista aumente ao longo dos dias, o PCdoB e o governador do Maranhão seguirão com o deputado Bira do Pindaré. Falhando o plano B, será adotado então o plano C, que é eleger a deputada federal Eliziane Gama prefeita de São Luís.


Apesar de fazer parte da base governista na Assembleia Legislativa, Wellington vem mantendo uma postura independe no parlamento estadual, não rezando a cartilha comunista e ainda denunciando por diversas vezes irregularidades cometidas por Flávio Dino ao longo desses 17 meses de governo.


Por essa razão, o PCdoB e Flávio Dino sabem que, sendo Wellington eleito prefeito da capital, o progressista é quem dará as ordens no Executivo municipal, e não mais os comunistas, como já acontece na gestão de Edivaldo Holanda Júnior, e deve acontecer na possibilidade de eleição de Eliziane Gama ou Bira do Pindaré.

No dia 20 de abril, a ministra Maria Thereza de Assis Moura, corregedora-geral da Justiça Eleitoral, autorizou a apuração das suspeitas de que a campanha à reeleição da presidente Dilma Rousseff, em 2014, havia utilizado gráficas para lavar dinheiro do Petrolão. Na última semana, o relatório entrou em fase final de redação e uma perícia deverá ser oficialmente divulgada no próximo mês. ISTOÉ apurou que as evidências de lavagem de recursos desviados da Petrobras se confirmaram. As empresas VTPB, Focal e Red Seg não conseguiram comprovar que prestaram os serviços declarados durante as últimas eleições, o que reforçam os indícios de que eram mesmo de fachada e serviram de ponte para o pagamento de propinas do Petrolão. Juntas, elas receberam uma fábula da campanha de Dilma em 2014: R$ 52 milhões.


A Focal foi a segunda que mais recebeu recursos do PT, só ficando atrás do marqueteiro João Santana. Um total de R$ 24 milhões. Mas a gráfica, assim como a VTPB e a Red Seg, simplesmente não apresentou notas fiscais, comprovantes de pagamento, ordens de serviço, contratos trabalhistas ou de subcontratação de terceiros, além de extratos de transferências bancárias que justificassem as atividades exercidas para a campanha de Dilma a um custo milionário. Esses documentos eram fundamentais para provar que as gráficas não foram usadas como laranjas pelo PT para esquentar dinheiro ilegal. A ausência da papelada compromete a campanha de Dilma e incrementa o caldo político que pode levar ao seu afastamento definitivo em agosto, no derradeiro julgamento do impeachment. “A ausência da devida comprovação de gastos eleitorais, principalmente quando envolver altos valores, pode indicar a ocorrência de graves fraudes e até lavagem de dinheiro, com sérias consequências”, afirmou o presidente do TSE, Gilmar Mendes.



ILÍCITO Para o presidente do TSE, Gilmar Mendes, a ausência de comprovação dos gastos eleitorais indica a existência de fraudes graves

Os peritos do TSE visitaram as três gráficas entre maio e junho. Seus donos contaram histórias mirabolantes na tentativa de atestar que colocaram seu maquinário a serviço da petista em 2014. Por isso, teriam sido aquinhoadas com os R$ 52 milhões declarados pela campanha de Dilma. As versões, repetidas também à ISTOÉ, não param em pé. Para comprová-las, as empresas tinham até o dia 24 de junho para entregar a farta documentação exigida pela Justiça Eleitoral. O não fornecimento das provas exigidas pela Justiça Eleitoral torna muito difícil a absolvição das gráficas pela perícia do TSE.


Quem for hoje às dependências da Focal vai se deparar com uma estrutura ínfima. A empresa de Carlos Cortegoso, ex-garçom de Lula, fica localizada em São Paulo e exibe uma portinha que seria incompatível com o volume de produtos que ela declarou ter fornecido à campanha de Dilma em 2014. Dividida em dois pisos de cerca de 40 metros quadrados cada um, a empresa conta com apenas duas impressoras e só três funcionários trabalham por lá. Os proprietários argumentam que, durante o período da campanha, a empresa chegou a ter 200 funcionários, quando ainda estava sediada em São Bernardo do Campo, cidade vizinha à capital paulista, em um espaço bem maior. Entretanto, não foram apresentados ao TSE contratos de trabalho desses colaboradores. Como desculpa, argumentaram que eram prestados serviços semanais, sem vínculo trabalhista. Alegaram ainda que os equipamentos de offset utilizados para atender ao PT estariam acondicionados em outro imóvel de Cortegoso. Todavia, o empresário não apresentou as notas fiscais das máquinas, nem comprovou ainda que a tralha estava registrada nos ativos da companhia em 2014. “Existem algumas pequenas irregularidades no sentido fiscal, mas no sentido de criminal não tem nada”, jurou Cortegoso, abordado pela reportagem da revista. Carece de explicação ainda como uma gráfica, sediada em São Bernardo, poderia ter erguido palanques para a campanha à reeleição de Dilma Rousseff Brasil afora, conforme declarou ao TSE. Até a última semana, porém, mais essa atividade suspeita não havia sido justificada aos peritos do tribunal.


As dependências da empresa VTPB são ainda mais inacreditáveis, em termos de estrutura física. É uma gráfica muito engraçada, não tem impressora, não tem nada. Nem scanner, sequer máquina de xerox. O endereço fiscal fica registrado em uma kitnet no bairro da Casa Verde, zona norte de São Paulo. Os donos da empresa dizem sem corar a face que a estrutura micro não é conflitante com os R$ 22,9 milhões repassados pela campanha da presidente afastada nas últimas eleições. A empresa, segundo suas explicações, trabalha fazendo a intermediação entre os políticos que precisam de santinhos, por exemplo, e as gráficas que os produzem. Contudo, não foram apresentadas notas fiscais ou contratos que comprovem essas subcontratações. Tampouco comprovantes de pagamentos ou ordens de serviço.



2431-BRASIL-TSE-04
Infográfico: Rica Ramos

Mas quem lacrou mesmo foi a Rede Seg. Abastecida com R$ 6,15 milhões da campanha de Dilma, a gráfica sequer entregou cópias ou originais do livro contábil, porque ele simplesmente não existe. A gráfica – 8ª maior beneficiária de dinheiro da campanha que reelegeu a presidente da República em 2014 – não faz contabilidade escriturada da empresa. Isto, por si só, já configuraria, no mínimo, um “ilícito fiscal”, segundo advogados ouvidos pela ISTOÉ. A Red Seg também está lotada em um imóvel que abriga somente uma guilhotina de papel e uma impressora, que também é filha única. Os documentos do estabelecimento apontam como proprietário Vivaldo Dias da Silva. Um ano antes da campanha, de acordo com dados do Ministério do Trabalho, ele era motorista e ganhava salário de R$ 1.490.


As suspeitas de que o montante repassado à Focal, VTPB e Red Seg era oriundo do esquema do Petrolão foram levantadas a partir da delação premiada de donos de empreiteiras presos em decorrência dos desdobramentos da operação Lava Jato. O mandatário da UTC, Ricardo Pessoa, que assinou a colaboração com o Ministério Público, afirmou que repassou R$ 7,5 milhões à campanha de Dilma Rousseff (PT). E que o dinheiro teve origem no Petrolão. O mesmo empresário contou que realizou três repasses de R$ 2,5 milhões. Ao que tudo indica, uma dessas parcelas serviu para saldar notas fiscais da VTPB e Focal. O repasse ocorreu em 27 de agosto ao tesoureiro Edinho Silva, ex-ministro das Comunicações, que realizou quatro depósitos na conta da VTPB no total de R$ 1,7 milhão. Outros R$ 672,6 mil irrigaram os cofres da Focal. Aproximadamente R$ 1,8 milhão teve como destino a gráfica Red Seg. Esses não foram os únicos repasses feitos pela campanha de Dilma às fornecedoras suspeitas de lavagem de dinheiro. Os maiores montantes destinados à Focal e à VTPB também são de 2014 e da ordem de R$ 24 milhões e R$ 23 milhões, respectivamente.



MOVIMENTAÇÕES IRREGULARES O COAF já apontava para a ocorrência de lavagem de dinheiro pela gráfica VTPB (foto) durante a campanha à reeleição de Dilma

Chamou a atenção do TSE o volume gasto pelo comitê eleitoral de Dilma com serviços de confecção de faixas e santinhos. No dia 29 de julho do ano passado, o ministro Gilmar Mendes, que ocupava a cadeira de vice-presidente da corte eleitoral, pediu à Polícia Federal que investigasse as três empresas. No documento, Mendes recomendou que os agentes concentrassem as atenções na empresa Focal. A PF aproveitou e relacionou a VTPB no bojo da apuração. Um relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) já apontava para a existência de crime de lavagem de dinheiro praticado pela VTPB uma vez que havia a comunicação de movimentação atípica nas contas da empresa.


Outro indício de que as empresas fornecedoras possam fazer parte do esquema de lavagem de dinheiro, por meio de serviços gráficos, refere-se à prestação de contas da campanha da petista. Há centenas de recibos eleitorais de doações de materiais e serviços. Parte deles está em nome dos mesmos financiadores diretos da campanha. Ou seja, o “produto” doado é produzido pelas mesmas empresas suspeitas, mas leva o carimbo de outra campanha. É o caso do deputado Vicentinho. Ele encomendou à Focal Comunicação a produção de centenas de faixas para a campanha da presidente. O que intriga a investigação é que o petista, que arrecadou pouco mais de R$ 1,4 milhão, tenha ainda contribuído materialmente para a reeleição de Dilma com R$ 350 milhões.



TRIANGULAÇÃO Repasse a Edinho Silva, tesoureiro da campanha de Dilma, feito pela UTC serviu para saldar “notas frias” da VTPB

Também intrigou os técnicos do TSE o fato de valores declarados nos recibos de doação de materiais serem muitas vezes bem abaixo do valor praticado no mercado. Do total da produção de santinhos pela Axis Grafica, de São Caetano do Sul (RS), o Comitê Financeiro do PT doou para a campanha de Dilma 6,5% de um total de 30 mil, ou 1.950 itens. O valor declarado pela campanha foi de apenas R$ 14,62. Mas uma no mercado gráfico o valor médio é de R$ 1,8 mil para a quantidade total encomendada e de R$ 121 equivalente ao percentual doado.


A ministra Maria Thereza, relatora do pedido de cassação de Dilma no TSE, ainda está pedindo o compartilhamento de provas e informações obtidas pelas investigações da PF. À ISTOÉ, o ministro Gilmar Mendes ponderou que “nem todas as diligências foram cumpridas pelo TSE e há outras em curso, de modo que há de se aguardar uma maior quantidade de elementos para elaboração do relatório final da perícia”. O prazo é de 90 dias, que alcançará meados de agosto. Até lá, é possível que o afastamento definitivo de Dilma Rousseff já tenha sido julgado pelo Senado.

Contato

Joceilton Gomes, Radialista DRT 002235 , Locutor,Apresentador e Animador, Programador, Designer Gráfico

Pesquisar este blog

Elo Internet

Elo Internet

Aquivos