O candidato a reeleição pela coligação “Dom Pedro Para Todos”, prefeito Hernando Dias de Macedo (PCdoB), conta com o apoio do agiota Eduardo José Barros Costa, o ‘Eduardo DP’ ou ‘Imperador’, para continuar comandando os cofres públicos da cidade.



O neo aliado de Hernando Macedo, Eduardo DP (camisa quadriculada), durante apresentação à imprensa de presos em operação contra a agiotagem no Maranhão
Divulgação Ajudador O neo aliado de Hernando Macedo, Eduardo DP (camisa quadriculada), durante apresentação à imprensa de presos em operação contra a agiotagem no Maranhão


Filho da ex-prefeita da cidade, Maria Arlene Barros Costa, DP foi caçado e preso pelo menos três vezes pela Superintendência Estadual de Prevenção e Combate à Corrupção (Seccor) do Maranhão em pouco mais de um ano, por desvio de verbas públicas por meio de fraudes em licitações.


Em maio do ano passado, o neo aliado Hernando Macedo – considerado pela Polícia Civil como ladrão de dinheiro público da merenda escolar, aluguel de máquinas e de carros e medicamentos – chegou a ter uma de suas alcunhas utilizadas como nome de uma das operações que o colocou na prisão.


A estimativa segundo a polícia é que Eduardo DP tenha desviado cerca de R$ 19 milhões dos cofres de Dom Pedro. O valor é mais de 60 vezes maior do que o limite de gastos de Macedo nessa campanha de reeleição, de R$ 310.861,11.


Se o inquérito da Operação Imperador for encerrado pelo delegado Roberto Fortes até antes de 2 de outubro, o neo aliado do prefeito Hernando Macedo poderá responder a crimes como associação criminosa, lavagem de dinheiro, peculato e corrupção ativa e passiva. Se não for encerrado até lá, DP pode se movimentar livremente para auxiliar na reeleição do neo amigo.


Até o final do mês passado, o prefeito e o agiota eram desafetos ferrenhos. Com a chegada das eleições, porém, tudo mudou.