sexta-feira, 30 de setembro de 2016

Após os ataques a coletivos na noite desta quinta-feira (29), na região metropolitana de São Luís, foram identificados suspeitos de participarem dos atos criminosos de forma direta e indiretamente.

Qualquer informação que possa ajudar na identificação dos mesmos, pode ser repassado para o número do 190 de contato do Disque denúncia: 3223 5800 e ainda para o 190 (Ciops).

A polícia identificou 40 detentos que já cumprem pena no sistema prisional envolvidos com os ataques a ônibus e escolas da capital, na noite de quinta-feira (29). O grupo foi autuado por crimes de organização criminosa, incêndio a coletivos e a órgãos públicos. Os detentos já respondem a processo por assaltos a mão armada, tráfico de drogas, formação de quadrilha, latrocínios – que é o roubo seguido de morte – e homicídio. A Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP-MA) solicitou à Justiça a transferência de todos eles para presídios federais.

“São criminosos de alta periculosidade, que cumprem pena por crimes gravíssimos. A única medida é retirá-los do cenário para que não continuem incentivando estes atos, e, assim, impedir que sejam cometidos mais crimes”, ressaltou o titular da Superintendência Especial de Investigação Criminal (Seic), Tiago Bardal. Desde os atentados a polícia já capturou 24 pessoas, sendo 12 adolescentes que foram encaminhados à internação no Centro de Juventude Canaã, no Vinhais. Os demais estão na Seic, onde serão interrogados, autuados e enviados ao Complexo de Pedrinhas.

Para evitar a movimentação dos criminosos, as Polícias Militar e Civil realizaram, na manhã desta sexta-feira (30), operação ostensiva em todos os presídios do sistema penitenciário. Um total de 700 policiais ocupou as detenções para cumprir revistas minuciosas e abordagens à procura de celulares, armas e drogas. “É uma ação ‘pente fino’ para fechar o cerco contra esses criminosos e mostrar que a Segurança não vai deixar que eles instaurem o clima de medo na cidade”, enfatizou Bardal. Deste efetivo, 450 são agentes de segurança prisional da Secretaria de Estado da Administração Penitenciária (Seap), 150 são da Polícia Militar e 100 são da Polícia Civil.

Operação EleiçãoReforçando esse trabalho ostensivo, tropas federais serão enviadas para o Maranhão, a pedido do governador, para juntar-se aos 7.500 homens que atuarão nos próximos dias para impedir que facções criminosas tentem tumultuar as eleições. A Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP) orienta que os cidadãos repassem informações que ajudem a polícia no combate ao crime por meio do número do aplicativo Whatsapp (98) 9.9163.4899 e pelo aplicativo “Byzu”, compatível com todos os sistemas operacionais.



quinta-feira, 29 de setembro de 2016

A Justiça Eleitoral cassou em 13.08.2014 o mandato do Prefeito de Raposa, Sr. Clodomir de Oliveira dos Santos e do vice-prefeito, Sr. Messias Lisboa Aguiar.

 A decisão foi do juiz da 93º Zona Eleitoral, Osmar Gomes dos Santos, que determinou que a segunda colocada na eleição, Sra. Thalyta Medeiros de Oliveira assumisse o comando da Prefeitura imediatamente. Após impetrar liminar, a Justiça Eleitoral retomou o Sr. Clodomir de Oliveira dos Santos ao cargo em 16.09.2014. 

Ao retornar ao cargo, foi realizado um levantamento detalhado de quanto foi movimentado pela Thalyta Medeiros de Oliveira e concluiu-se que a mesma efetuou transferências financeiras no dia 11.09.2014 o montante de R$ 284.742,20 (duzentos e oitenta e quatro mil, setecentos e quanta e dois reais e vinte centavos), para contas de empresas desconhecidas, que segundo o levantamento realizado, não venderam nenhum produto e nem tão pouco prestaram qualquer tipo de serviços ao Município. 

Como a documentação não foi apresentado par ser incorporada ao Balaço Geral do Município, esse valor foi registrado ria conta patrimonial VALORES EM TRANSITO REALIZA VEIS Em CURTO PRAZO, conforme demonstrado no balanço patrimonial No exercido de 2015. por decisão da justiça eleitoral do Maranhão, o Prefeito eleito nas eleições de 2012, Sr, Clodomir de Oliveira dos Santos, ficou afastado do cargo, no período de 28 de fevereiro a 13 de maio de 2015, assumindo a segunda colocada nas eleições, Sra. Thalyta Medeiros de Oliveira (Thalyta Laci). Inscrita no CPF sob o n° 020.286.023-09. 

A gestora ao ser empossada substituiu todos os secretários municipais e o Diretor do SAAE. Nomeando para as respectivas pastas os senhores Benoniel Rodrigues -(Beka) Secretária de Educação: Maria Bernadeth Barros Figueiredo- Secretária de Saúde: José Erriol Flaynn, - Oliveira - Secretario de Assistência Social Newton de Sena Silva - Diretor do SAAE. que ao serem exonerados no dia 13 de Maio, não deixaram nenhuma documentação referente ao período em que esteve à frete da suas referidas pastas, o que ensejou em diversas ações jurídicas. Movidas pelo Prefeito reempossado. 

Como até o final do exercício de 2015 os mesmos não apresentaram as informações contábeis para serem incorporados ao balanço geral do Município, os valores movimentados e que não houveram comprovações foram inscritos em responsabilidade financeira em nome dos ex-secretários e totalizaram • RS 1.843.022.46 (um milhão oitocentos e quarenta e três mil e vinte e dois reais e quarenta e seis centavos) das contas da Administração Direta: RS 2.461455,17 (dois milhões, quatrocentos e sessenta e um mil, quatrocentos e cinqüenta e cinco reais e dezessete centavos) do Fundo da Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica - FUNDEB; • RS 7.559,96 (sete md, quinhentos e cinqüenta e nove reais e seis centavos) da Secretaria de Educação. • RS 1.347.678,75 (um milhão, trezentos e quarenta e sete mil, seiscentos e setenta e oito reais e setenta e cinco centavos) do Fundo Municipal de Saúde - FMS; • R$ 13.349,71 (treze mil, (trezentos o quarenta e nove reais e setenta e um centavos) do Fundo Municipal de Assistência Social FMAS, • RS 113.247,71 (cento e treze mil, duzentos e quarenta e sete reais e setenta e um centavos) do Serviço Autônomo de Água e Esgoto - SAAE Totalizando um montante de R$ 5.786.313,76 (cinco milhões setecentos e oitenta e seis mil, trezentos e treze reais e setenta e seis centavos) de recursos transferidos para contas de terceiros sem a devida comprovação documental, conforme demonstrado no Balanço Financeiro

O juízo da 4ª Vara da Fazenda Pública, proferiu sentença nos autos do processo 2614/2013 que o candidato Wellington do Curso (PP) figurava como parte.

 Ao fazer a a análise do processo o juiz proferiu a decisão afirmando o Welligton não é parte no processo e ainda cabe ressalta ainda que o autor mesmo sabendo que o réu sempre alegou mas o estado evitou apontar pessoa diversa responsável do esbulho denunciado.


 Então após análise detalhada o juízo acolheu a preliminar suscitada e extingui o processo. A verdade tarda, mas não falha.4




quarta-feira, 28 de setembro de 2016
O candidato Dinho Penha mais os seus corelegionarios desafiaram a Justiça ao publicar em seus perfis em rede social nesta quarta feira dia (28) resultado de pesquisa considerada fraudulenta e vetada pela Justiça Eleitoral.









No desespero de forjar números inexistentes, além do seu perfil, Dinho também utilizou de carro de som e redes sociais para disseminar a mentira.

O Juiz considerou a pesquisa como “em desacordo com a legislação” e avaliou que a sua divulgação pode causar danos aos outros candidatos, proibindo qualquer tipo de divulgação do levantamento. a magistrada(o) afirma também que, em caso de descumprimento da medida, os representados deverão pagar multa e responder sanções nas esferas penais, administrativas e cíveis.

Entre eles serão citados no processo estão o Sr Gilmar Melo e Silvio Carvalho , cuja empresa é a Escutec Publicidade LTDA; a empresa de pesquisas Perfil Pesquisas; e um candidato a Prefeito de São Bento

a verdadeira pesquisa de São Bento aqui esta a imagem abaixo Baixe a pesquisa aqui

A Verdadeira pesquisa da escutec esta no site veja abaixo o link e as Imagens


ex-prefeito José Laci é condenado a mais 03 (três) anos de prisão por fraudes em licitação. Agora já são 18 (dezoito) anos de prisão por condenações em 04 (quatro) processos criminais por desvios milionários dos cofres da prefeitura de raposa.

O ex-prefeito de Raposa, José Laci de Oliveira, sofreu mais um duro golpe. O ex-gestor foi recentemente condenado a 03 (três) anos de prisão por fraudes em licitação e desvios milionários dos cofres da prefeitura de Raposa. Com os processos criminais anteriores divulgados por esse blog, José Laci já foi condenado a 18 (dezoito) anos de prisão, o que causa perplexidade o fato de o ex-prefeito ainda não ter sido preso pra cumprir as suas condenações. 

Veja abaixo trecho da sentença proferida pela juíza Rafaella de Oliveira Saif  Rodrigues, da Comarca de Raposa, referente ao processo criminal nº. 660-78.2009.8.10.0113: 

 ÀS 09:26:38 - JULGADA PROCEDENTE A Ação Proc. n. º 660-78.2009.8.10.0113 -

(Themis PG3) - Secretaria Judicial Ação Penal Autor: A JUSTIÇA PÚBLICA ESTADUAL Réu: JOSÉ LACI DE OLIVEIRA Vítima: O PATRIMÔNIO PÚBLICO Incidência Penal: Art. 89 da Lei n.º 8.666/93 e Art. 1º, V do Decreto Lei n.º 201/97. VISTOS EM CORREIÇÃO S E N T E N Ç AFace ao exposto, julgo procedente a denúncia e condeno o réu JOSÉ LACI DE OLIVEIRA, como incurso nas penas do art. 89, caput, da Lei n.º 8.666/93 e no art. 1º, inciso V, do Decreto-Lei n.º 201/67. Passo à dosimetria da pena, com observância do disposto nos arts. 59 e 68 do CP. A culpabilidade do réu é inerente a espécie(neutralizada). Quanto aos antecedentes criminais, não há nos autos comprovação de condenação transitada em julgado por processos criminais anteriores ao apurado no presente feito (neutralizada). Personalidade do agente - não existe nos autos qualquer elemento plausível para aferição da personalidade do acusado, razão pela qual deixo de valora-la. Conduta social - Não há nos autos elementos para valorar a conduta social do réu (neutralizada). Os motivos, as circunstâncias e as consequências dos crimes são ínsitos ao tipo penal (neutralizadas). Por fim, como o Estado é o sujeito passivo dos crimes previstos no art. 89, caput da Lei n.º8666/93 e no art. 1º, V, do DECRETO LEI N.º 201/67, o comportamento do mesmo não contribuiu para o evento danoso (neutralizada). Não existem dados para se aferir a situação econômica do réu. I - DO CRIME PREVISTO NO ART. 89, CAPUT, LEI N.º 8.666/93.Assim, fixo a pena-base no mínimo legal, 03 (três) anos de detenção e ao pagamento de 10 (dez) dias-multa, à base de 1/30 (um trigésimo) do salário mínimo vigente à época do delito, a qual torno definitiva,em razão da inexistência das circunstâncias atenuantes e agravantes e das causas de aumento e diminuição de pena. Estabeleço como início do cumprimento da pena o regime aberto, ex vi da alínea c, § 2º, do art. 33. II - DO CRIME PREVISTO NO ART. 1º, INCISO V, DO DECRETO LEI N.º 201/67 Assim, fixo a pena-base no mínimo legal em 03 (três) meses de detenção. Não existem circunstâncias atenuantes, nem agravantes e nem causas de aumento ou diminuição da pena, razão pela qual torno definitiva a pena de 03 (três) meses de detenção. Estabeleço como início do cumprimento da pena o regime aberto, ex vi da alínea c, § 2º, do art. 33. III - DO CONCURSO MATERIAL Aplicada a regra do artigo 69 do Código Penal, a pena totaliza 03 (três) anos e 03 (três) meses de detenção e 10 (dez) dias-multa à base de 1/30 (um trigésimo) do salário mínimo vigente à época do delito. Estabeleço como início do cumprimento da pena o regime aberto, ex vi da alínea c, § 2º, do art. 33, cujas condições deixo de fixar, em razão da substituição que se operará na forma do art. 44, § 3º, do CP. Atento ao disposto no inciso IV, do art. 43, e nos incisos I, II e III, do art. 44, substituo a pena aplicada por prestação de serviços à comunidade ou a entidades públicas, mais a multa original. Nesse sentido é o entendimento do ilustre Luiz Flávio Gomes transcrito, in verbis: "O intuito sempre é o de evitar, tanto quanto possível, a prisão. Desse modo, no final, o réu será condenado a uma pena restritiva substitutiva mais a multa original ou a uma multa substitutiva juntamente com a multa original - são duas multas, mas cada uma com sua natureza própria. Não havendo lei que impeça a substituição da prisão quando ela é cominada cumulativamente com a multa, não há como não admiti-la, até porque caberá sempre ao juiz, em cada caso concreto, ditar a resposta estatal justa e suficiente. Ele não é obrigado a optar pela multa substitutiva. Se entender que é insuficiente, pode impor uma outra pena restritiva" (Penas e Medidas Alternativas à Prisão. 1 ed. São Paulo: RT, 1999, p. 121). Na forma do § 2º, do art. 46, do CP, fixo as regras para o cumprimento da pena substitutiva imposta. I - Restritiva de direitos - prestação de serviços à comunidade por meio de entidade pública. a) O apenado prestará serviços à comunidade, em entidade pública a ser definida em audiência admonitória, devendo as tarefas ser atribuídas conforme as aptidões do condenado e cumpridas à razão de 1(uma) hora de tarefa por dia de condenação, fixadas de modo a não prejudicar a jornada normal de trabalho. b) a instituição comunicará, mensalmente, o comparecimento e o comportamento do réu. c) oficie-se à direção da supramencionada instituição, oportunamente. II - Pena de multa - Após os cálculos do contador, intime-se o réu para pagamento em dez dias. A pena substitutiva converter-se-á em privativa de liberdade se ocorrer o descumprimento injustificado da restrição imposta - parágrafo 4º do artigo 44 do Código Penal. No que se refere ao comando inserto art. 387, § 2º, do CPP, com a nova redação dada pela Lei n.º 12.736/2012, no que diz respeito a considerar o tempo de prisão provisória, observo que tal medida tornou-se prejudicada, pois o acusado não foi preso durante a instrução criminal, respondendo a todo o processo em liberdade. Decreto, ainda, a perda de cargo, caso esteja ocupando cargo público, e a inabilitação, pelo prazo de 05 (cinco) anos, para o exercício de cargo ou função pública, eletivo ou de nomeação, sem prejuízo da reparação civil do dano causado ao patrimônio público ou particular, nos termos do art. 1º, § 2º, do Decreto Lei n.º 201/67 e 83 da Lei n.º 8.666/93. Custas pelo réu. Concedo ao réu o benefício de apelar em liberdade por entender que não estão presentes os requisitos da custódia preventiva. P.R.I.C Com o trânsito em julgado dessa decisão para a acusação, abra-se vista ao MPE e ao patrono do réu, para manifestar-se sobre eventual prescrição retroativa. Após o trânsito em julgado e caso não seja reconhecida a prescrição retroativa: a) Remetam-se os autos ao contador para o cálculo da multa imposta, intimando-se o réu para pagamento da pena de multa em dez dias; b) lance-se o nome do réu no rol dos culpados; c) Comunique-se à Justiça Eleitoral, para fins de implemento da suspensão dos direitos políticos; d) oficiem-se aos órgãos de identificação e estatística criminal; e) expeça-se, virtualmente, a guia de execução definitiva à VEP, instruída com os documentos necessários. f) após a remessa da guia, arquive-se, com baixa na distribuição. Raposa (MA), 20/01/2016. Juíza RAFAELLA DE OLIVEIRA SAIF RODRIGUES Titular do Termo Judiciário de Raposa Resp: 127985
Após vários os comentários duvidoso sobre a matéria vinculada neste veiculo de comunicação.

Veja o vídeo que comprova a mais verdadeira veracidade dos fatos publicada pelo Titular deste blog O acidente que envolveu o Mototaxista Adalberto Andrade Leite de 51 anos, a candidata Talita Laci do PCdoB no local do acidente.


No dia do acidente, Talita Laci não assumiu qualquer responsabilidade pela autoria do crime, evadindo-se rapidamente do local e tentando a todo custo abafar o caso, com o claro objetivo de não ser responsabilizada pelo crime. Além da ação penal, Talita Laci deve ser processada por danos morais pelos familiares da vítima, que não tiveram qualquer assistência da candidata a prefeita, desde o dia do acidente de trânsito.



Com a morte do mototaxista, deve ser instaurado Inquérito Policial na Delegacia de Acidente de Trânsito (DAT), que deverá indiciar á candidata a Prefeita do Município de Raposa Talita Laci pelos crimes de homicídio culposo e omissão de socorro, cujas penas somadas são de detenção de 03 (três) a 05 (cinco) anos, multa e suspensão do direito de dirigir por 02 (dois) anos.



veja ela se evadindo do local do acidente




O vídeo no momento do atropelamento arremessando o mototaxista de tal forma que ela momentos depois se evadiu do local

O que me deixa mais perplexo e o grupo dela falando bobagem em seu grupo de WhatsApp falando barbaridades veja os Prints abaixo





essa e a verdadeira historia que foi escondida do povo pra não agravar a campanha da candidata mais aqui nessa terra nada se esconde a verdade sempre vem atona


veja o atestado de Obito do Falecido


FIM

terça-feira, 27 de setembro de 2016
Relatos no ato da ligação feito para a própria mãe e o irmão do Adalberto Andrade Leite de 51 anos que mora na Rua 18 de Maio, Nº10, no Bairro Canto da Fabril, casado, Pai de 02 (duas) filhas, a causa da morte foi Politraumatismos craniano devido às lesões múltiplas de diversas naturezas que podem comprometer diversos órgãos e sistemas.

Adalberto Andrade Leite de 51 anos que foi atropelado no dia 06 de setembro desse ano, no centro de São Luís, pelo veiculo que estava sendo conduzida pela candidata a prefeita de Raposa, Talita Laci.



Ouça o relato do áudio:

Primeira Voz: Dona rosário e verdade que seu filho faleceu

Rosário e verdade.

Primeira Voz: foi né o velório esta sendo aonde pode me informa.

Irmão da Adalberto: aqui que esta falando e o irmão dele.

Primeira Voz: e uma amigo dele de infância
Primeira Voz:e porque não sei onde esta sendo velado o corpo dele.

Irmão de Adalberto: e aqui na Pax União Próximo a Faculdade São Luis.

Primeira Voz: isso sei

Irmão do Adalberto: o enterro vai ser às 11 horas da manhã

Primeira Voz: Rapaz me fala uma coisa aqui que eu vi aqui no meu Facebook foi verdade que Talita bateu nele

Irmão de Adalberto: Foi

 Primeira Voz: foi né então ta obrigada.
segunda-feira, 26 de setembro de 2016
Faleceu hoje, pela manhã, 26 de setembro, o mototaxista, Adalberto, 51 anos, casado, pai de 02 (duas) filhas, que foi atropelado no dia 06 de setembro desse ano, no centro de São Luís, pelo veiculo que estava sendo conduzida pela candidata a prefeita de Raposa, Talita Laci.

O mototaxista estava internado na UTI do Hospital Geral desde o dia do acidente, em estado gravíssimo, vindo a falecer hoje, 26 de setembro, em decorrência do agravamento das lesões sofridas no acidente de trânsito.

Com a morte do mototaxista, deve ser instaurado Inquérito Policial na Delegacia de Acidente de Trânsito (DAT), que deverá indiciar á candidata a Prefeita do Município de Raposa Talita Laci pelos crimes de homicídio culposo e omissão de socorro, cujas penas somadas são de detenção de 03 (três) a 05 (cinco) anos, multa e suspensão do direito de dirigir por 02 (dois) anos.

No dia do acidente, Talita Laci não assumiu qualquer responsabilidade pela autoria do crime, evadindo-se rapidamente do local e tentando a todo custo abafar o caso, com o claro objetivo de não ser responsabilizada pelo crime. Além da ação penal, Talita Laci deve ser processada por danos morais pelos familiares da vítima, que não tiveram qualquer assistência da candidata a prefeita, desde o dia do acidente de trânsito.

O que causa perplexidade é o comportamento de Talita Laci, que nunca se manifestou sobre o acidente. Além do mais, quando o fato é noticiado, os seus cabos eleitorais negam veementemente o envolvimento da candidata à prefeita, apesar dos vídeos divulgados comprovando o envolvimento dela no acidente com vítima fatal. Ressalte-se, ainda, que os familiares têm vídeos e fotos do caso, que deverão ser usados nas ações judiciais que moverão contra Talita Laci.

Ao longo desses dias, esse blog irá divulgar mais informações sobre o caso.







Pesquisa divulgada pelo blogueiro domingos costa e registrada pelo blogueiro Clodoaldo correia não esta no sistema da escutec a empresa tem serias acusações de forja resultados de pesquisas.

 O dono da empresa Escutec, Antonio José Fernando Junior Batista Vieira, conhecido pelas pesquisas eleitorais de intenção de votos manchadas de erros em diversos levantamentos no estado, foi preso pela Polícia Federal no dia (20/10/2015) terça-feira. 

Ele foi levado para a sede da PF na Capital no desencadear da Operação Attalea realizada nas cidades de Anajatuba e São Luís. Foram executados oito Mandados de Prisão, uma condução coercitiva e três Mandados de Cumprimento de Medidas Cautelares Diversas da Prisão.

Fernando Junior é acusado de atuar em diversos municípios com empresas fantasmas e fazer parte de uma quadrilha fraudando processos licitatórios e desviando recursos públicos federais do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação Básica (FUNDEB) e do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), por meio da contratação de “empresas e fachada”. 


A Operação Attalea é resultado de um trabalho conjunto da PF com o Ministério Público Federal (MPF), Ministério Público do Maranhão (MP-MA) e Controladoria-Geral da União (CGU). O inquérito foi instaurado em julho de 2014. Em novembro do mesmo ano, o caso foi destaque na primeira reportagem do quadro ‘Cadê o dinheiro que estava aqui?’, do ‘Fantástico’, da TV Globo.

sábado, 24 de setembro de 2016
Um princípio de rebelião foi registrado neste sábado (25), no Complexo Penitenciária de Pedrinhas, na capital maranhense. Aguarde mais informações.

xs9p7d8w
talita-laci-raposa
Adicionar legenda

Talita laci não demonstra compromisso com o povo de raposa e não comparece a entrevista na TV difusora ,Uma verdadeira falta de respeito com o eleitor, assim pode ser qualificado o que fez a candidata a Prefeita de Raposa Talita Laci (PC do B), que não compareceu a entrevista realizada na manhã deste sábado na TV difusora.


Para não comparecer na entrevista marcada para este sábado, 24, a FUJONA enviou uma nota dizendo que ficou preso no engarrafamento, o que não convenceu o eleitorado.  A emissora lamentou a ausência da entrevistada que foi notificada previamente sobre as datas, através de sorteio com representantes de cada coligação pela instituição, e informou que respeita o direito de cada candidato de não comparecer às entrevistas.




whatsapp-image-2016-09-24-at-10-49-46
sexta-feira, 23 de setembro de 2016
ELEIÇÕES 2016 NA RAPOSA

14441107_1082032538570522_2774519390019259768_nQuatro candidatos disputam a Prefeitura de Raposa -MA. Ocileia(PRB10), Talita(PCdoB65), Eudes(PR22) e Mauricio(PSB40).  Amanhã as 09:00 da manhã transmissão ao vivo pelo Blog Joceilton Gomes, Direto da Difusora o debate com os 4 candidatos a Prefeito de Raposa não perca .

eleicoes-2016-750x410
quinta-feira, 22 de setembro de 2016
Divulgados os vídeos do momento do acidente de trânsito envolvendo Talita laci, que ocorreu na Rua dos Prazeres, Centro de São Luís, próximo ao Liceu Maranhense.
No primeiro vídeo aparece a colisão de um veículo Renault Sandero branco, sem placas, de propriedade do filho da candidata a vereadora pela Raposa, Meire Pimenta, com um mototaxista em um cruzamento preferencial para a vítima do abalroamento, que foi  arremessado pelo veículo conduzido por Talita, vindo a sofrer ferimentos gravíssimos. Segundo familiares, a vítima se encontra em estado muito grave, em uma UTI do Hospital Geral.
No segundo vídeo, alguns minutos depois do acidente, sem prestar socorro à vítima, aparece a candidata a prefeita de Raposa,Talita Laci, muito apressada e visivelmente nervosa se evadindo do local, acompanhada de um homem, que lhe dá carona em outro automóvel. O acidente ocorreu no dia 06 de setembro, numa terça-feira, às 15h54min. O fato foi noticiado, mas rapidamente abafado, sem qualquer explicação do envolvimento no acidente por Talita ou qualquer membro do seu grupo político O acidente foi noticiado pelo nosso Blog Joceilton Gomes com circulação em Raposa e em São Luis, mas a notícia foi rechaçada por algumas pessoas ligadas a Talita, que negaram  veementemente o envolvimento da candidata a prefeita no acidente. Após a divulgação desses vídeos, não há mais dúvida que Talita Laci foi realmente a causadora de um acidente de trânsito que deixou uma vítima em estado muito grave. Acidente de trânsito pode acontecer com qualquer pessoa.

  No entanto, o que causou estranheza foi o comportamento de Talita Laci, que não prestou socorro à vítima, evadiu-se rapidamente do local para não ser responsabilizada pelo acidente, e, além do mais, tentou de todas as formas abafar o ocorrido, sem dar qualquer explicação para o caso, o que demonstrou total desvio de caráter e imaturidade por parte da candidata a prefeita.
 




A deputada Andrea Murad apresentou à mesa diretora da Assembleia Legislativa um requerimento pedindo informações sobre o funcionamento do Hospital Macrorregional de Santa Inês quanto ao sistema de regulação de leitos e disponibilidade de oxigênio. No último fim de semana, o paciente Carlos Alberto, vítima de AVC, foi levado para a unidade e não recebeu atendimento porque o sistema de regulação não estava funcionando. O fato revoltou a população da região. Andrea Murad criticou ainda a nota que o governo emitiu sobre o caso.


“Haja vergonha para vir defender uma imoralidade dessas. Portas do hospital fechadas,  não pode atender porque o sistema de regulação não está funcionando e aí vem o governo dizer que o hospital não tem o serviço de urgência e emergência. V. Ex.ªs já viram a nota da Secretaria de Estado da Saúde? A Secretaria de Estado da Saúde lamenta o óbito do paciente Carlos Alberto e informa que o paciente citado estava internado no hospital municipal de Santa Inês sob a responsabilidade da unidade...’ Aí botou a culpa toda no hospital municipal de Santa Inês. O Ricardo Murad entregou o hospital com 95% das obras e no projeto original tinha sua urgência e emergência e esse governo tirou. De acordo com Ricardo Murad que idealizou o projeto, todo hospital de alta complexidade dessas regiões teria uma Unidade de Pronto Atendimento de Urgência e Emergência”, explicou Andrea Murad.


A parlamentar quer saber em quais condições a unidade foi inaugurada pelo governo Flávio Dino, devido às denúncias, vídeos e áudios que circulam na imprensa sobre o não atendimento do paciente Carlos Alberto e também pela falta do oxigênio, que só foi instalado nesta segunda-feira (19).


“A grande verdade é essa! Ele está inaugurando as unidades que Ricardo Murad deixou prontas, mas não consegue inaugurar da maneira que é para inaugurar. Falta oxigênio, por exemplo. Depois do escândalo da morte do Tina Pepper, correram para instalar o oxigênio. Ontem (20) às 14h40, estão aqui as fotos, às 14h40 foi instalado o oxigênio no Hospital de Santa Inês. Um hospital, que foi entregue mês passado, foi inaugurado sem oxigênio. Como é que um hospital de alta complexidade, que vai fazer cirurgias de alta complexidade é inaugurado sem oxigênio? É porque ele não vai fazer aquilo que é para ele fazer! Semana passada tiveram que derrubar muro para entrar o caminhão do oxigênio, porque nem acesso o caminhão tinha. É brincadeira o que acontece nesse governo!”, denunciou a deputada.
quarta-feira, 21 de setembro de 2016

deputado-edilazio-junior-1O primeiro secretário da Mesa Diretora da Assembléia Legislativa, deputado estadual Edilázio Júnior (PV), criticou na sessão de hoje, a postura adotada governador Flávio Dino (PCdoB) durante o período de campanha eleitoral nos interiores do estado. Para o parlamentar, Dino ameaça adversários e coage eleitores, ao sugerir que o Palácio dos Leões somente ficará de “portas abertas” aos prefeitos aliados. Edilázio afirmou que Flavio Dino vai de encontro a tudo o que aquilo que pregou quando foi eleito em 2014.


“O governador Flávio Dino falava no Maranhão em 2014 que todos os prefeitos e deputados iriam ser tratados de forma igualitária. Mas aí, veio a realidade. Ele chegou a Imperatriz e afirmou que as portas do Palácio dos Leões só estarão abertas para a sua candidata. Ele tem que fazer campanha para seus candidatos com propostas, de compromisso, e não com ameaças. Não é chegar aos municípios onde há um candidato contrário à sua ideologia comunista e ameaçar, falar que caso aquele candidato seja eleito, não terá apoio do Palácio dos Leões”, enfatizou.


Edilázio citou o caso de Barreirinhas, Raposa e outras cidades como exemplo da intervenção política de Flavio Dino nas eleições, que teve por objetivo beneficiar o PCdoB. “Lá em Barreirinhas o prefeito Léo Costa votou nele em 2014. E o que ganhou? Ganhou a perda do partido, assim como outros 16 prefeitos que votaram nele. É o governo da panelinha”, completou.


“O governador Flávio Dino tem de respeitar os maranhenses. Ele não pode chegar a Imperatriz, com a candidata dele patinando nos 20 pontos, e desrespeitar 80% da maior cidade da região Tocantina. Ele tem de tratar os prefeitos bem, tratar a classe política bem. É uma unanimidade que há descaso por parte dele em relação à classe política, por isso o meu repúdio”, finalizou.

terça-feira, 20 de setembro de 2016

Divulgados os vídeos do momento do acidente de trânsito envolvendo Talita laci, que ocorreu na Rua dos Prazeres, Centro de São Luís, próximo ao Liceu Maranhense.


No primeiro vídeo aparece a colisão de um veículo Renault Sandero branco, sem placas, de propriedade do filho da candidata a vereadora pela Raposa, Meire Pimenta, com um mototaxista em um cruzamento preferencial para a vítima do abalroamento, que foi  arremessado pelo veículo conduzido por Talita, vindo a sofrer ferimentos gravíssimos. Segundo familiares, a vítima se encontra em estado muito grave, em uma UTI do Hospital Geral.

https://www.youtube.com/watch?v=6SkyL_ymgzg&feature=youtu.be

No segundo vídeo, alguns minutos depois do acidente, sem prestar socorro à vítima, aparece a candidata a prefeita de Raposa,Talita Laci, muito apressada e visivelmente nervosa se evadindo do local, acompanhada de um homem, que lhe dá carona em outro automóvel.


[embed]https://www.youtube.com/watch?v=UKb42p3JFtQ[/embed]

O acidente ocorreu no dia 06 de setembro, numa terça-feira, às 15h54min. O fato foi noticiado, mas rapidamente abafado, sem qualquer explicação do envolvimento no acidente por Talita ou qualquer membro do seu grupo político.

O acidente foi noticiado pelo nosso Blog Joceilton Gomes com circulação em Raposa e em São Luis, mas a notícia foi rechaçada por algumas pessoas ligadas a Talita, que negaram  veementemente o envolvimento da candidata a prefeita no acidente.


Após a divulgação desses vídeos, não há mais dúvida que Talita Laci foi realmente a causadora de um acidente de trânsito que deixou uma vítima em estado muito grave. Acidente de trânsito pode acontecer com qualquer pessoa.


https://www.youtube.com/watch?v=AapRQvUdVMc&feature=youtu.be

No entanto, o que causou estranheza foi o comportamento de Talita Laci, que não prestou socorro à vítima, evadiu-se rapidamente do local para não ser responsabilizada pelo acidente, e, além do mais, tentou de todas as formas abafar o ocorrido, sem dar qualquer explicação para o caso, o que demonstrou total desvio de caráter e imaturidade por parte da candidata a prefeita.


whatsapp-image-2016-09-20-at-18-50-30
whatsapp-image-2016-09-20-at-18-51-12
whatsapp-image-2016-09-20-at-18-51-40
whatsapp-image-2016-09-20-at-18-51-56


https://youtu.be/p3FH2Nsuocs

“O prefeito de São Luís prometeu e não construiu as 25 creches”, dispara deputado Wellington


Na sexta-feira dia (24/09/2015), o vice-presidente da Comissão de Educação da Assembleia Legislativa, deputado Wellington do Curso (PPS), utilizou suas redes sociais para parabenizar a ação do Ministério Público do Maranhão (MP-MA) que, por meio das Promotorias de Educação de São Luís, instaurou Inquérito Civil para apurar o andamento da construção das creches do programa Brasil Carinhoso, que seriam construídas pela gestão municipal em parceria com o Governo Federal.


Wellington, que já utilizou a tribuna inúmeras vezes para denunciar a não construção das creches, se pronunciou na última quarta-feira (23) mencionando o lançamento da pedra fundamental das 25 creches que marcaria o início da construção da creche do bairro da Cidade Operária, em terreno localizado na unidade 105. Na ocasião, o parlamentar lamentou o descaso da atual Gestão Municipal para com a educação infantil e mencionou o destino de 33 milhões a fatores de idoneidade questionável, o que segundo ele é um disparate quando se tem 25 creches a serem construídas.
“A Prefeitura de São Luís divulgou no início de 2014 a construção de 25 creches com recursos oriundos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). No dia 8 de fevereiro de 2014, o prefeito Edivaldo Holanda Júnior garantiu que as obras estariam concluídas em oito meses. No entanto, um ano e sete meses depois quem passa pelo local encontra apenas o terreno repleto de lixo. O prefeito de São Luís prometeu e não construiu as 25 creches. Ora, como se não bastasse o absurdo de não se ter a construção as creches, nos deparamos com R$ 33 milhões sendo destinados ao Instituto Superior de Educação Continuada (ISEC) pela prefeitura de São Luís, como se não houvesse obras à espera de concretização. Infelizmente, esse não é o único problema que assola a educação infantil em nossa capital, já que as condições estruturais das escolas municipais estão distantes do almejado. Por isso, parabenizo o Ministério Público e reafirmo o meu posicionamento em defesa não apenas de simples obras, mas em defesa do futuro das crianças e, assim, em defesa daquilo que é devido a todo cidadão: o respeito”, pontuou o parlamentar.


 

 

clodoadoO blogueiro Clodoaldo Correa Garcês,  editor do blog que leva seu nome, não precisou ser aprovado em concurso para ter emprego público.


Em fevereiro de 2015, Clodoaldo foi agraciado com um cargo de Assessor Parlamentar da Assembleia Legislativa com salário mensal de  R$ 6.664,54. Desde que assumiu o cargo, o ‘blogueiro de Paletó’, alcunha dada por outros blogueiros,  já abocanhou R$ 129.998,53 dos cofres públicos.


Clodoaldo é apontado como fantasma na Assembleia, pois não comparece ao local de trabalho.


Nem professor que trabalha 40h por semana na rede pública de ensino do Maranhão recebe esse salário.


Clodoaldo ataca de forma covarde e impiedosa os que cruzam no caminho do prefeito Edivaldo ou do governador Flávio Dino.


O editor deste blog já foi alvo  da fúria de Clodoaldo em abril de 2015 . Na época, ele publicou que o professor ia juntamente com alunos do Curso Wellington bloquear a BR-135 para provocar o caos em São Luís e prejudicar o prefeito Edivaldo, fato que não aconteceu.


Hoje, Clodoaldo soltou mais uma mentira no seu blog, ao dizer que Wellington do Curso mandou “bater” em professor que o denunciou em rede social, usando um print onde Hilton Franco escreveu: ‘Wellington me ligou. Falei com ele sobre Genilson. Nós vamos pra cima. Aviso dado’.


O “vamos pra cima”, não é relacionado ao professor Genilson, e sim ao adversário político, no caso o prefeito Edivaldo.


E assim segue Clodoaldo, sem credibilidade, mentiroso e com dinheiro no bolso.


veja a lista dos Blogueiro fantasma que ganha pela assembleia Legislativa

Veja o salário dos blogueiros que batem em Wellington :

1. Leandro de Sousa Miranda R$ 6.664,54

2. Raimundo Garrone P R Sobrinho R$ 6.664,54

3. Jeisael de Jesus Pacheco ( vulgo Jeisael Marx) R$ 5.573,25

4. John Aires Cutrim R$ 6.664,54

5. Clodoaldo Correa Garces R$ 6.664,54

6. Silvia Tereza Pereira R$ 6.332,16

Por ano Leandro, John , Garrone, Clodoaldo já embolsaram mais de 129.998,53 mil da Assembleia Legislativa do Maranhão .


A candidata a prefeitura de Raposa, Talita Laci (PCdoB), se envolveu em acidente que deixou gravemente ferido um motociclista ainda não identificado, na rua dos Prazeres, próximo ao colégio Liceu Maranhense. Segundo informações de populares, o carro de Talita uma Hilux de Cor Prata atingiu a motocicleta, arremessando o motociclista alguns metros do local. Após a colisão, Talita Laci se escondeu em outro carro e evadiu-se do local sem prestar socorro ou auxílio à vítima. Ouça abaixo áudio de uma das testemunhas do acidente.

Sobre a Matéria:

Pós e Contra

Pontos Positivos:

1- Carro adesivado da candidata
2- Milfont (tio de Talita) no local

3- Milfont está apaisana, pois o mesmo é motorista do resgate do corpo de bombeiros e usa farda.

ouça o Áudio abaixo





segunda-feira, 19 de setembro de 2016

talita-no-carroA candidata a prefeitura de Raposa, Talita Laci (PCdoB), se envolveu em acidente que deixou gravemente ferido um motociclista ainda não identificado, na rua dos Prazeres, próximo ao colégio Liceu Maranhense. Segundo informações de populares, o carro de Talita uma Hilux de Cor Prata atingiu a motocicleta, arremessando o motociclista alguns metros do local. Após a colisão, Talita Laci se escondeu em outro carro e evadiu-se do local sem prestar socorro ou auxílio à vítima. Ouça abaixo áudio de uma das testemunhas do acidente.


Sobre a Matéria:

Pontos Positivos:
1- Carro adesivado da candidata
2- Milfont (tio de Talita) no local
3- Milfont está apaisana, pois o mesmo é motorista do resgate do corpo de bombeiros e usa farda.





 0111

3d17a59a-4278-470e-a871-87ba8166882f
9680c4c5-bcbe-495e-a85b-e760ce567871
1cbf12fb-9292-4e1d-861d-f11694af859f

entenda a lei

Art. 135 – Omissão de socorro


Art. 135 - Deixar de prestar assistência, quando possível fazê-lo sem risco pessoal, à criança abandonada ou extraviada, ou à pessoa inválida ou ferida, ao desamparo ou em grave e iminente perigo; ou não pedir, nesses casos, o socorro da autoridade pública:

Pena - detenção, de um a seis meses, ou multa.

Parágrafo único - A pena é aumentada de metade, se da omissão resulta lesão corporal de natureza grave, e triplicada, se resulta a morte.

  1. Objeto Jurídico: A tutela da norma penal destaca aqui a defesa da vida e da saúde da pessoa, que se dá mediante imposição de um dever geral de solidariedade no sentido de que todos têm a obrigação dar assistência à criança abandonada ou extraviada, à pessoa inválida ou ferida, assim como ao desamparado ou em grave e eminente perigo de vida, quando isso for possível sem risco pessoal, também punindo o ato egoístico daquele que nem sequer se digna a pedir o socorro da autoridade pública, em favor da vítima.


Embora descreva condutas alternativas (“deixar de prestar assistência” ou “não pedir, nesses casos, socorro”), não se pode concluir que a redação da norma outorga ao autor do fato a liberdade de optar entre prestar assistência ou apenas chamar o socorro, para que não lhe incida a pena cominada. Isso porque, enquanto ausente o risco pessoal ao autor, é plenamente exigível que se solidarize com a situação do ofendido de modo a lhe prestar imediato socorro.

Assim, é de se admitir o pedido de socorro como providência subsidiária, possível apenas diante da impossibilidade de o autor alcançar imediato amparo ao ofendido. Sendo possível o socorro, sem risco ao autor, e tendo ele apenas solicitado auxílio à autoridade pública, tem-se que o crime restará caracterizado.

Contudo, o delito não se configura quando demonstrado que o próprio socorro ou o chamado por ele implicar em risco pessoal ao autor do fato.

A norma descreve ato omissivo próprio, pois, diante da obrigação de assistir o desvalido, implícita na norma penal, a simples omissão impõe a incidência do artigo 135 do Código Penal. Descarta-se o enquadramento do tipo como omissivo impróprio justamente por não incidir quaisquer daquelas alíneas do § 2.º do artigo 13 do Código Penal.

Obs¹: Enquanto a norma do artigo 133 do Código Penal quer punir o ato de quem coloca a vítima em situação de risco, as disposições contidas no artigo em tela pretende punir a omissão daquele que encontrou alguém em risco (dentro das condições do artigo em tela) e não providenciou qualquer socorro.

  1. Sujeito ativo: Qualquer pessoa que encontre alguém nas condições de vulnerabilidade previstas no artigo em questão pode ser considerada autor do crime.



  1. Sujeito passivo: O caput do dispositivo elenca um rol de pessoas que figuram como sujeitos passivos do crime em questão:


Compreende-se como criança, para a norma, o infante que não pode oferecer defesa própria à situação de risco à qual foi submetida, sendo considerada abandonada aquela exposta à situação de risco.

A criança extraviada é aquela que está perdida.

A pessoa inválida é a que, por deficiência, doença ou idade, está exposta ao risco.

A pessoa ferida é a que teve sua integridade corporal ofendida.

O desamparado é o que não tem qualquer auxílio.

A gravidade da situação e a eminência do perigo em que se encontra a pessoa, que também encampam elementares do tipo, devem ser avaliadas no caso concreto, porquanto qualquer pessoa submetida a tais condições também é considerada sujeito passivo do crime.

  1. Elemento subjetivo: A norma exige a consciência do autor no sentido de que sua conduta (de não prestar assistência ou não pedir ajuda) deixará o ofendido desamparado, exposto a risco.


Não se considera criminosa a conduta praticada culposamente.

  1. Consumação e tentativa: O crime se consuma diante da omissão do autor à falta de socorro à vítima. Não se cogita a hipótese de tentativa.



  1. Modalidades qualificadas: Sobrevindo a lesão corporal de natureza grave ou a morte da vítima, em sendo previsível o resultado pelo autor, mas não pretendido, por se tratar de crime preterdoloso, a norma penal impõe sanção mais severa, aumentando-se a pena de metade na ofensa à integridade física da vítima, bem como a triplicando, na hipótese de morte.



  1. Ação penal: É pública incondicionada, sendo competente para julgá-lo o Juizado Especial Criminal, inclusive quando configuradas as hipóteses do parágrafo único do artigo 135 do Código Penal.

Banggood a sua Loja

Nova União FM

Salmo do Dia

Facebook

Moeda

Bolsa de Valores

Publicidade:

Elo Internet