A greve completa 28 dias nesta segunda-feira (03/10) sem nenhum sinal de recuo dos bancários. O governo e os banqueiros insistem no reajuste abaixo da inflação mais abono, propondo, ainda, um acordo com validade de dois anos. 
Assembleias foram convocadas e discutirão, hoje, os rumos do movimento que vem crescendo. Em todo o país, são vários os exemplos de comissionados do BB e da Caixa que aderiram ao movimento para denunciar as péssimas condições de trabalho nos bancos. 

É hora da categoria aproveitar o fortalecimento da greve e enfrentar com firmeza o governo e os bancos.

Os trabalhadores em geral podem voltar às ruas a qualquer momento, pois estão sentindo o peso do desemprego e da inflação, bem como a piora das condições de vida, mesmo após a mudança de governo. 

Os bancários devem ressaltar que os banqueiros são os responsáveis por essa situação, pois sugam boa parte das riquezas do país através da dívida pública e dos juros praticados no país.

 A categoria precisa ganhar os demais trabalhadores para a luta contra o governo e os patrões, se se quiser derrotar a intransigência dos banqueiros este ano. 

É hora, também, da direção dos grandes sindicatos, filiados à CUT e à CTB, buscarem as demais categorias em luta, como de petroleiros, para somar com os bancários nessa luta. Vamos todos às assembleias que ocorrerão nesta segunda-feira (03/10) e vamos, sobretudo, fortalecer os piquetes. Força a todos os companheiros! A greve continua!