José de Ribamar Pereira de Oliveira, o Zezinho, desmentiu versão apresentada pela presidente afastada da Colônia de Pescadores-17, do município de Tutóia-MA.

Zezinho contradiz a versão divulgada pelas mídias sociais, onde a presidente afastada, Geisiane da Silva Oliveira, diz que sua chapa não cometeu irregularidades, e que a componente, Keila da Rocha Silva, questionada na justiça pelo fato de ser ou não pescadora; é pescadora de fato, porém teve um atraso na emissão de sua (RGP) carteira de pescadora artesanal, expedida pela Superintendência Federal da Pesca e Aquicultura no Maranhão (SEAP).

O denunciante informa que o estatuto da entidade, veda veementemente, à participação no processo eleitoral ,de membros de chapas que não comprovem ser de fato, pescadores; esta comprovação ocorre por meio apresentação da carteira de pescador artesanal  á comissão eleitoral, no ato de registro da candidatura; o que supostamente parece não ter sido o caso de Keila.

Zezinho afirma ainda, que pelo fato de ter sido o autor dá denuncia que resultou no afastamento da atual diretoria; tem sofrido ataques, onde os investigados questionam o fato de o mesmo, também, ser ou não pescador, e por esta razão resolveu expor seu documento comprobatório. Ele comprova que é pescador desde 1995.

Zezinho conta que a senhora Keila teve a oportunidade demonstrar seu vínculo com a pesca, durante as audiências judiciais; no entanto, nenhum documento comprobatório foi apresentado à justiça, fato que resultou no afastamento de toda à atual diretoria.