Os vereadores da Câmara Municipal de Raposa aprovaram por unanimidade na manhã de sexta-feira (23), o Projeto de Lei de Nº 002/2018 que altera a Lei Municipal de nº 310/2017, que autoriza a Prefeitura a realizar concurso público com o preenchimento de 219 vagas ofertadas para o município em várias áreas.

O projeto de Lei que cria cargos efetivos nos quadros de servidores da Prefeitura, encaminhada à Câmara Municipal pelo Poder Executivo, desde então estava sendo analisado pela comissão responsável no legislativo, e na sexta-feira (23) foi levado ao plenário, sendo aprovado na íntegra em sessão extraordinária por ampla maioria dos vereadores.

A mensagem enviada pela Prefeitura de Raposa ao Poder Legislativo, esclareceu a necessidade de ampliação do número de cargos e vagas após um minucioso levantamento feito pelo corpo técnico do executivo.

Em pronunciamento durante a sessão extraordinária, o Presidente da casa, vereador Beka Rodrigues (PC do B), disse que os vereadores estão preocupados com a preparação do povo raposense, e por isso a Câmara está fazendo a sua parte, buscando alternativas diante da necessidade da população. Beka ressaltou também que o Poder Legislativo está acompanhando o processo com cursivo, e sugerido que a prefeitura crie cursos técnicos preparatórios para que a população de Raposa seja a maior beneficiada com a realização do concurso público, após a divulgação e publicação do edital.

“Temos nossas responsabilidades com o nosso município, por isso aprovamos à realização do concurso. Porque entendemos que o município passa por uma situação administrativa”. “E” diante desta necessidade sugerimos que a prefeitura crie cursos técnicos preparatórios para garantir que a maioria da população de Raposa seja beneficiada”. Concluiu Beka Rodrigues.

Os candidatos a vagas no setor público costumam observar quais são as fases e exigências das seleções. Porém, um concurso público começa muito antes da divulgação do edital. Desde a constatação da necessidade de vagas até a nomeação dos aprovados. O processo passa por várias etapas (Confira a lista abaixo)

Estavam presentes na sessão plenária que autorizou a realização do concurso público no município de Raposa os vereadores: Rosilene Teixeira a “Rosinha do Araçagi” (PR), Joaquim Souto (PRB), Maria Eliene (PR), Magno da Colônia (PRTB), Laurivan Uchóa (MDB), Josevaldo (PSDB), Vonei (PT), Enoque Lisboa (MDB), e Beka Rodrigues Presidente da casa parlamentar do (PC do B).

Veja as vagas disponíveis:

SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO E PLANEJAMENTO
Cargo de Vigia-04
A.O.S.D-06
Agente Administrativo – 04
Contador-01
Motorista- 01
SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO
A.O.S.D- 15
Merendeira – 15
Agente Administrativo- 10
Vigia- 20
Professor Educação infantil- 10
Professor Interprete de Libras- 15
Professor Educação Especial- 01
Professor 6º ao 9º Ano (Língua Portuguesa/Inglês) – 05
Professor 6º ao 9º Ano (Artes) – 02
Professor 6º ao 9º Ano (História) – 03
Professor 6º ao 9º Ano (Geografia) – 02

Professor 6º ao 9º Ano (Matemática) – 05
Professor 6º ao 9º Ano (Ciências) – 03
Professor 6º ao 9º Ano (Filosofia) – 02
Professor 6º ao 9º Ano (Educação Física) – 03
Professor 6º ao 9º Ano (Ensino Religioso) – 02
Supervisor Escolar- 08
Motorista- 10
SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE
A.O.S.D- 08
Porteiro- 02
Agente Administrativo – 03
Motorista Cat. D/E- 03
Enfermeiro Obstetra – 06
Nutricionista- 02
Auxiliar de Farmácia – 02
Médico Plantonista- 07
Médico Cardiologista- 01
Médico Ginecologista Obstetra – 01
Médico Pediatra – 01
Médico Auditor – 01
Médico Veterinário- 01
Farmacêutico – 01
Vacinador – 02
Comunitário de Saúde- 01
Agente Comunitário de Endemias – 01
Fiscal Sanitário – 01
Digitador- 05
Educador Físico- 01
SECRETARIA MUNICIPAL DE INFRAESTRUTURA E TRANSPORTE
Vigia- 02
A.O.S.D- 06
Agente Administrativo- 02
Eletricista- 02
SECRETARIA MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL
Assistente Social- 01
Psicólogo- 01
GUARDA MUNICIPAL
Guarda Municipal- 5

A decisão desta segunda-feira (26) da Oitava Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, de rejeitar os embargos de declaração do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), reitera uma situação que já era conhecida desde sua condenação em segunda instância: de acordo com a Lei da Ficha Limpa, o petista está inelegível.

Na letra fria da lei, está impedido de ser eleito qualquer condenado por “órgão judicial colegiado” em uma série de crimes, entre eles, lavagem de dinheiro. Este é o caso de Lula, condenado pelos desembargadores da Oitava Turma do TRF4 a doze anos e um mês de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro no caso do tríplex no Guarujá (SP).

Mas há uma brecha. É a mesma Lei da Ficha Limpa que oferece uma saída para garantir, pelo menos temporariamente, sua candidatura. Um dos artigos da norma federal prevê a suspensão da inelegibilidade pela corte em que a defesa do ex-presidente recorrer contra a decisão do TRF4.

Esse pedido deve ser feito ao tribunal em que a defesa do ex-presidente recorrer contra a condenação no TRF4 — no caso, o Superior Tribunal de Justiça ou o Supremo Tribunal Federal. Ainda que provisória, a decisão de uma dessas cortes pode garantir o registro de candidatura, que é analisado e autorizado pelo Tribunal Superior Eleitoral. 

A batalha de Lula se transfere de Porto Alegre para Brasília, onde o STJ e STF são os destinos naturais dos recursos dos advogados de Lula. No TRF4, o processo está praticamente encerrado. A defesa de Lula vai avaliar se recorre contra a decisão que lhe negou os embargos de declaração — a medida serviria apenas para ganhar tempo, já que não há nenhuma chance de a corte rever seu julgamento. 

São dois tipos de recursos que cabem nos tribunais de Brasília. Ao STJ, a defesa só pode argumentar que o TRF4 ofendeu alguma lei federal. Ao Supremo é preciso demonstrar alguma violação à Constituição. Em nenhum dos casos, há espaço para se discutir provas.

É no recurso ao STF ou ao STJ contra a condenação em segundo grau que a defesa pode pedir a suspensão da inelegibilidade. Essa permissão para ser candidato só é concedida se os ministros entenderem que Lula tem alguma chance de êxito nos recursos que ainda serão apresentados.

O presidente da  Federação dos Municípios do Estado do Maranhão-FAMEM, Cleomar Tema, recebeu, nesta terça-feira (20), a visita do presidente da Câmara Municipal da cidade de Raposa, vereador Beka Rodrigues (PC do B), ocasião em que discutiram assuntos relacionados ao municipalismo e trocaram impressões sobre o panorama político atual.

Beka Rodrigues destacou o trabalho executado por Cleomar Tema à frente da FAMEM, por conta da repercussão alcançada em todos os níveis, assinalando que a entidade municipalista é reconhecida em todos os segmentos da política maranhense.

Por sua vez, Tema elogiou a performance de Beka Rodrigues, que recentemente foi reconduzido à presidência do Legislativo Municipal da Raposa por unanimidade.

Ambos afirmaram que estão empenhados na reeleição do governador Flávio Dino e destacaram os avanços da atual administração estadual, sobretudo nas áreas da Educação, Saúde e Infraestrutura.

BRASÍLIA - Dois a cada três beneficiários do seguro-defeso não teriam direito a receber o recurso pelas regras do programa - que atende pescadores -, mas acabam custando R$ 1,5 bilhão ao ano aos cofres do governo, segundo resultado de auditoria do Ministério da Transparência e da Controladoria-Geral da União (CGU).

Em momento de necessidade de ajuste nas contas, o órgão de controle aponta em relatório que o registro dos segurados “é ineficiente em nível intolerável para justificar a manutenção da política pública” e defende a reformulação completa do programa.

O seguro-defeso, uma espécie de bolsa pescador, é o benefício de um salário mínimo (hoje em R$ 954,00) pago a pescadores artesanais profissionais no período de proibição da pesca (em média quatro meses) para proteger as espécies em períodos críticos, como de reprodução. Mas as fragilidades no cadastro abrem brechas para que o recurso seja usado até como moeda de troca em período eleitoral. 

Em setembro de 2014, houve 24,4 mil novas inscrições, crescimento de 760% ante setembro do ano anterior, quando foram 3,2 mil novos beneficiários.

O principal problema da concessão do seguro-defeso é que os dados são declarados pelos próprios beneficiários. Além disso, muitos trabalhadores informais recebem o benefício, o que dificulta o rastreio da fonte de renda para justificar a suspensão do pagamento. 

Há ainda uma parcela considerável (19%) que recebeu o dinheiro sem ser pescador.

Entrevistas. Os resultados foram obtidos a partir de entrevistas feitas com 2,3 mil beneficiários em 126 municípios. O objetivo era saber se os segurados exerceram a pesca entre 2013 e 2014, período alvo do levantamento. 

Os técnicos da CGU ressaltam que o quadro de irregularidades se mantém. Em alguns municípios, o cenário é pior do que na média nacional: em Chapadinha, Maranhãozinho, Pio XII, Urbano Santos,Raposa o resultado mostra que 72,9% dos benefícios são irregulares.

O estado de saúde do bebê Thayller Lieger Mendes Barros, de sete meses, que foi jogado pela própria mãe da ponte do São Francisco é considerado estável pela equipe pediátrica do Hospital Municipal Djalma Marques (Socorrão I) em São Luís.

De acordo com o diretor administrativo do Socorrão I, Rafael Coringa, o bebê sofreu apenas uma escoriação nas costas que foi ocasionada por causa da queda. Após o incidente, a criança realizou uma série de exames que não apontaram nenhuma fratura grave e seu estado de saúde é considerado estável pelos médicos.

Em seguida, o bebê foi transferido para o anexo da ala de pediatria do Socorrão I, localizado no Hospital Benedito Leite, anexo da unidade hospitalar onde se encontra em observação. A criança deve permanecer na unidade para a realização de novos exames para que seja verificado seu quadro de saúde.

Segundo o diretor, a criança deve permanecer no hospital até que seja divulgado um parecer das autoridades que devem definir com quem o bebê irá ficar para que em seguida, ele possa ter alta.

“O serviço social do hospital está acompanhando o caso e a gente só poderá dar alta do paciente provavelmente quando tiver uma liberação da Justiça que dirá com quem a criança irá ficar, mas enquanto isso, ela está sob os nossos cuidados do corpo de enfermagem que devido a esse fato inusitado, está cuidando com muito carinho da criança e com todos os cuidados necessários”, explicou Rafael Coringa.

Entenda o caso

O bebê Thayller Lieger Mendes Barros, de sete meses, foi jogado pela própria mãe da ponte do bairro São Francisco, na tarde desse domingo (18), em São Luís. De acordo com a Polícia Militar, a criança foi resgatada por dois policiais que estavam transitando pelo local. A criança caiu de uma altura de 36 metros em uma área com muita lama.

A mãe da criança identificada como Karla Regina Mendes, de 23 anos, foi presa em flagrante e conduzida para o Plantão Central das Cajazeiras, no centro da capital. Em depoimento, a mãe do bebê afirmou que sofre de problemas mentais, informação que foi confirmada pela família de Karla durante depoimentos.
Adversários do prefeito de São José de Ribamar, Luis Fernando (sem partido), tentam desviar o foco das recentes denúncias que surgiram contra o seu ex-aliado, Gil Cutrim.

Nesta semana, soltaram na cidade uma nota anunciando um inquérito do MP referente à licitação Nº 016/2014, que tinha como objeto a “contratação de empresa especializada de engenharia para executar a pavimentação asfáltica de vias urbanas nos Municípios de Pinheiro, Alcântara, Bacurituba, Bequimão, Palmeirândia, Pedro do Rosário, Peri Mirim, Presidente Sarney, Santa Helena, São Bento, Turilândia e Turiaçu, de interesse da Secretaria de Estado de Infraestrutura – SINFRA”.

Nessa época, a pasta era comandada pelo hoje prefeito Luis Fernando.

A vencedora da concorrência foi a Construtora Pactor, empresa ligada ao agiota Gláucio Alencar, segundo a Superintendência Estadual de Prevenção e Combate à Corrupção (Seccor).

Ocorre que, segundo o próprio inquérito, a apresentação das propostas da licitação estava marcada para o dia 25 de março de 2014, exatamente oito dias antes de o então secretário deixar a pasta.

A conta é simples: é praticamente impossível que uma licitação seja encerrada oito dias após a apresentação das propostas.

Conclusão óbvia: mesmo que a apuração do Ministério Público aponte qualquer irregularidade no processo, é impossível que Luis Fernando seja responsabilizado.

Fonte Gilberto Leda

O prefeito de São José de Ribamar, Luis Fernando Silva, assinou na última sexta-feira (09), três ordens de serviço autorizando a imediata construção de três Unidades Básicas de Saúde (UBS) que foram sucateadas e totalmente destruídas na gestão anterior. A maratona em prol da saúde começou pela UBS do Parque Jair. O local, que possuía unidade própria entregue na primeira gestão de Luis Fernando, misteriosamente foi realocado para outro prédio com a promessa de ampliação, porém, além de não passar por uma única reforma, o prédio foi abandonado e sucateado.

Ao assinar a ordem de serviço, Luis Fernando lembrou do seu compromisso com a população e apontou como sendo prioridade a reconstrução do equipamento de saúde. "O Parque Jair tinha unidade própria e construída com recurso próprio. Hoje poderíamos estar entregando outra obra, mas o meu compromisso é com a população e por isso vamos voltar do zero e entregar um espaço digno para os moradores da região", afirmou o prefeito, ao lado do vice-prefeito, Eudes Sampaio e diversas autoridades

O presidente da Câmara Municipal, Beto das Vilas lembrou que embora o espaço não precisasse nem mesmo de pintura, o descaso da antiga administração levou o prédio a perder até a estrutura física em razão da falta de zelo. "Lembro com tristeza quando os problemas começaram, na gestão anterior. A unidade foi deslocada, sendo que o espaço não precisava de absolutamente nada, e hoje o que restou do prédio, foram as paredes praticamente desabando", lembrou.

A Unidade provisória, inaugura no ano passado pelo prefeito Luís Fernando, que atende cerca de 24 mil pessoas, deverá ter o número quase que duplicado, isso porque a nova UBS deverá oferecer ainda mais serviços e especialidades. "Além das consultas, exames e programas de saúde já oferecidos, estamos montando um quadro de especialidades para garantir daqui há seis meses, comodidade para os moradores de toda a região", antecipou o secretário de saúde, Tiago Fernandes.

Na ocasião, Luis Fernando visitou e assinou também autorização de serviços para a reconstrução das UBS da Matinha, igualmente abandonada e destruída. A unidade que funciona dentro do barracão do Boi, só foi deslocada na atual gestão quando ganhou sede provisória e finalmente agora caminha para sede própria, lembrou o vereador Cristiano.

"Triste lembrar que a população foi submetida a tamanho descaso, tendo atendimento dentro de um barracão", disse.

Já na Mata, localidade que também a atual administração precisou intervir em razão das péssimas condições de saúde oferecida a população, o prefeito falou da adequação emergencial já feita na unidade no ano passado e que agora a obra passa a ser definitiva. "A UBS ganha novo prédio e com isso aumenta o número de oferta de atendimento e consequentemente a população não vai mais precisar se deslocar", finalizou o prefeito.

RAPOSA – Após o infeliz comentário feito pelo ouvidor secretário de comunicação de Raposa, Domingos Costa, comprova-se que o governo comunista de Dino é um governo de perseguição.

Ouça o áudio que o blogueiro domingos costa fala dos adversários que o governo pede ele faz



Só que outro fato chama atenção das pessoas da pequena cidade de Raposa e até o momento não se tem explicação, o fato é: Como foi que em tão pouco tempo uma pessoa até então desconhecida e um simples morador da cidade se mudou para um flat de luxo na Cohama e comprou um carro avaliado em mais de R$ 120.000,00? Vale lembrar que a média salarial de um secretario na cidade de Raposa é R$ 4.000,00 que não condiz com a realidade do mesmo, que anda pela cidade esbanjando ostentação.
Honda Civic avaliado em 120.000,00 pertence a o blogueiro domingos costa

Assim pergunta-se ainda de onde vem tal condição financeira, uma vez que o mesmo supostamente só detém do salario de ouvidor. 

Será que Domingos tem outra forma de ganhar dinheiro ou tem um clone ou tenha algum poder obscuro de está em dois lugares ao mesmo tempo? Leis da física, uma ciência exata, comprova que é impossível um corpo está em dois lugares ao mesmo tempo.
Imagem meramente ilustrativa 
Supõe-se que o mesmo está a receber um mais uma renda oriunda do palácio dos leões para prestar o serviço porco que lhe é imposto pelo governador, como ele declarou em delação premiada.

Também se sabe que Domingos Costa é sujo perante a justiça, o mesmo responde mais de 15 processos por publicações duvidosas, mas até o momento nunca foi condenado em nenhuma, será que o palácio teria influencia sobre judiciário?



O próprio Blogueiro disse em rede social que não dependia de Prefeitura de Municipal de Raposa, que o salario que ele recebe como ouvidor do município no valor de 3.400 não da para manter assistência do seu filho. de onde vem o dinheiro para sustentar as suas ostentações.







Mais uma vez Andreia Sayre a presidente da colônia de raposa desdenha do judiciário do município de raposa, mesmo com uma decisão do juiz da comarca de raposa determinado a suspensão da eleição para a direção daquela entidade que aconteceria hoje 08 de marco as 08h00min na sede da entidade neste município.

A senhora Andreia Coutinho manteve o pleito desobedecendo com isso a decisão do magistrado do Juiz (Gilmar de Jesus Everton vale) sobre a decisão abaixo.

Isso e uma decisão oriundo de um processo, impetrado pelo município de Raposa por não presta conta de um Convenio com o Município no ano de 2015.

Segundo Andreia teria comentado que não teria medo da justiça porque os políticos que o apoiam teriam autorizado a ela fazer a realização da eleição naquela entidade.

A Presidente da colônia de Raposa, Andreia Sayre Coutinho estava fazendo o seguro de noventa por cento (90%) era fraude, inclusive em São Luís supostamente deputados estão envolvidos na liberação do seguro no Município de Raposa.

A Polícia Federal já esta investigando a fraude e também em todos os beneficio de aposentadoria feita pela Presidente da colônia de pescadores de Raposa e também todos os seguro defeso do município de Raposa

O Ministério Público ira investigar todos os seguros defeso do Município de Raposa e São Luís onde foi feito a suposta fraude.

O titular do blog vinha avisando sobre o seguro defeso no município de raposa, e em breve irei mostra um dos aposentados que pagou um valor de Oito Mil reais para se aposentar e entregou a Andreia Sayre Coutinho que faz varias aposentadoria de varias pessoas, inclusive pessoas de Belém do Pará estariam no esquema de aposentadorias.

A tendendo pedido liminar do Ministério Público do Maranhão, a Justiça determinou a interdição do matadouro do Município de São Vicente Férrer, a 276 km de São Luís. A Ação Civil Pública com a solicitação foi proposta, em 2012, pelo promotor de justiça Tharles Cunha Rodrigues, à época titular da referida comarca. Proferiu a decisão o juiz Francisco Bezerra Simões.

A suspensão do funcionamento deve durar até que seja regularizado o registro do estabelecimento junto ao órgão de inspeção competente (Municipal, Estadual e Federal), bem como o seu licenciamento ambiental, objetivando a adequação do local às condições de higiene e saúde exigidas pelos órgãos competentes.

Em caso de descumprimento, foi estipulado o pagamento de multa diária no valor de R$ 5 mil até o limite de R$ 100 mil, montante a ser revertido ao Fundo de Defesa do Consumidor.

Consta nos autos que o matadouro não possui qualquer tipo de licenciamento ambiental e sanitário. Também não dispõe de local para o descarte das carcaças dos animais abatidos, havendo descarte irregular de resíduos, fator que atrai outros animais e insetos, o que acarreta a contaminação de águas das áreas adjacentes.

Foi constatada, ainda, a existência de rachaduras nas paredes das salas e equipamentos enferrujados, que colocam em risco a saúde dos trabalhadores. O matadouro não dispõe de médico veterinário, inviabilizando o controle sobre a qualidade da carne.

O Ministério Público do Maranhão se baseou principalmente em relatórios de inspeções realizadas pela Vigilância Sanitária Municipal e pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente.

Na decisão, o juiz Francisco Bezerra Simões afirmou que, desde quando o MP ajuizou a ação, foi oportunizada, por diversas vezes, a regularização do matadouro por parte da prefeitura. No entanto, passados seis anos, não foram tomadas as medidas necessárias.

“Restou comprovado que até o momento o matadouro está fora dos parâmetros legais de funcionamento. Não há, portanto, motivos para que continue operando e promovendo riscos à saúde da coletividade”, completou.
Por unanimidade (5 votos a 0), a Quinta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) negou em julgamento nesta terça-feira (6) a concessão de um habeas corpus preventivo pedido pela defesa para evitar a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

O objetivo do julgamento foi decidir se o petista pode começar a cumprir pena de 12 anos e 1 mês de prisão determinada pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região depois de esgotados os recursos ao próprio TRF-4. Lula ainda tem recursos pendentes no TRF-4 e no STF (saiba em que pé estão esses recursos).

Lula foi condenado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do triplex no Guarujá (SP).

Após proferir a sentença condenatória, os desembargadores do TRF-4 determinaram a prisão logo após a conclusão da tramitação – no próprio tribunal – dos recursos da defesa.

A decisão tem por base entendimento do STF , de outubro de 2016, segundo a qual a pena pode começar a ser cumprida após condenação em segunda instância da Justiça (caso do TRF). O habeas corpus preventivo impetrado pela defesa de Lula tinha por objetivo evitar essa prisão.

Na mesma decisão, os cinco ministros da Quinta Turma do STJ negaram um pedido extra da defesa para suspender a inelegibilidade de Lula com a condenação de segunda instância.

A Lei da Ficha Limpa impede que condenados em tribunal colegiado – como o TRF-4 – de disputarem eleições.

No habeas corpus ao STJ os advogados de Lula queriam suspender essa proibição, mas os ministros entenderam que, como o processo ainda não finalizou sua tramitação no TRF-4, ainda não é o momento de analisar a questão.

RESUMO

O que pediu a defesa ao STJ: a concessão de um habeas corpus preventivo para impedir que Lula fosse preso depois de julgado o último recurso no TRF-4, que condenou o ex-presidente a 12 anos e 1 mês de prisão – ainda não há data para julgamento do recurso (leia íntegra de nova da defesa de Lula ao final desta reportagem).

O que argumenta a acusação: para o Ministério Público, o entendimento em vigor do Supremo Tribunal Federal (STF) estabelece que é possível a prisão após condenação em segunda instância (caso do TRF-4)

O que decidiram os ministros do STJ: Félix Fischer, Jorge Mussi, Reynaldo Soares da Fonseca, Marcelo Navarro Ribeiro Dantas e Joel Ilan Paciornik negaram a concessão do habeas corpus preventivo porque entenderam, com base em decisão do Supremo de outubro de 2016, que não há ilegalidade na prisão após condenação em segunda instância.
O Superior Tribunal de Justiça (STJ) está julgando terça-feira uma ação decisiva para o futuro do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). A 5ª Turma Criminal da Corte já tem maioria para rejeitar o pedido, que, se fosse aceito, poderia garantir a ele imunidade contra uma agora mais provável prisão. Já votaram nesse sentido o relator, Felix Fischer, e os ministros Jorge Mussi, Reynaldo Soares da Fonseca e Ribeiro Dantas. 

Vota, agora, o ministro Joel Ilan Paciornik. Lula aguarda o julgamento de um outro recurso, apresentado ao próprio Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), que o condenou há 12 anos e um mês de prisão em regime fechado, pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, no caso do tríplex do Guarujá (SP). Pelo acórdão do TRF4, a rejeição desta apelação deve determinar o cumprimento antecipado da pena, isto é, a prisão do ex-presidente. É o que o habeas corpus julgado nesta terça pretendia evitar.


Um um áudio vazado na internet nesta semana mostrou uma conversa do Deputado estadual Levi Pontes (PCdoB) negociando a troca de favores por apoio político. Na gravação, o deputado faz um acordo de manter a manutenção com verbas públicas da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Chapadinha desde que o prefeito do município mantenha o apoio a sua candidatura.

Durante a conversa, Levi Pontes fala com uma pessoa ainda não identificada sobre o esquema na saúde. Ele conta que se o prefeito de Chapadinha, Magno Bacelar (PV) não prestar apoio a sua campanha política a UPA do município deixará de ser administrada com verbas do governo estadual e voltará a ser custeada pelo município.

O deputado explica que o contrato de gerenciamento da UPA de Chapadinha terminaria em 29 de março, data em que o Hospital Regional seria entregue, mas Levi Pontes promete que o Estado deve conseguir administrar a unidade hospitalar mesmo assim, caso ele tenha apoio político.

Depois do escândalo, o deputado que é o quarto vice-presidente da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa do Maranhão (Alema), não compareceu a sessão nesta quinta-feira (1º). O presidente da Alema, Othelino Neto (PCdoB), afirmou que a Comissão de Ética deverá analisar o caso.


Contato

Joceilton Gomes, Radialista DRT 002235 , Locutor,Apresentador e Animador, Programador, Designer Gráfico

Pesquisar este blog

Elo Internet

Elo Internet

Aquivos